Ao redor da mesa.

Estava falando com minha esposa sobre um tema para o próximo texto e ela me sugeriu que falasse um pouco sobre a espiritualidade da mesa.

Quero lhes falar um pouco sobre isso hoje aqui.

Quando se come junto, muita coisa acontece.

A mesa é um ambiente de troca afetiva.

Aprendemos a comer através de uma experiência afetiva.

A amamentação é a experiência original desenhada para nos ensinar que “é seguro, você pode se abrir para receber algo do mundo, isso vai lhe fazer bem”.

É o afeto, a confiança e a aceitação que tornam possível a alimentação sadia.

Alimentar-se, alimentar o outro e alimentar-se com o outro são todos realidades afetivas.

Também é ao redor da mesa que tomamos parte nas realidades espirituais.

“Quem participa da minha mesa participa do espírito da minha casa”.

Há uma advertência muito severa dizendo que não se deve comer do alimento sacrificado aos ídolos. Isso quer dizer que não se deve comer no ambiente em que as pessoas estão praticando o pecado, pois comer ali onde outros praticam o mal é tornar-se participante desse mal.

Quando comemos algo material entra dentro de nós, mas também algo imaterial.

Os dois sacramentos essenciais na tradição cristã protestante são o Batismo e a Santa Ceia.

Por meio do Batismo publicizamos o arrependimento e a fé: “os caminhos de Deus são justos, bons e eternos, nós andaremos neles e, por causa disso, Deus nos socorrerá e salvará”; por meio da Santa Ceia entramos na comunhão da Igreja e literalmente bebemos do sangue de Jesus Cristo, o que quer dizer que consentimos que o castigo que nos é devido por causa dos nossos pecados cometidos anteriormente recaia sobre ele em nosso lugar.

Quem não for Batizado de corpo, alma e espírito, e não participar da Santa Ceia do Senhor Jesus Cristo, não entrará no Reino de Deus.

Olhe muito bem para o que você come, onde você come, ao redor de quê você come e com quem você come.

Há pessoas com quem não se deve nem mesmo comer junto: com hipócritas não se deve sentar à mesa.

Pessoas que se dizem da fé, mas que andam em pecado, com esses não se deve comer.

Existe uma grande diferença entre o ignorante e o perverso. A pessoa que anda com Deus aprenderá a diferença entre eles, para ter paciência com o primeiro e manter distância do último. Pois quem sempre esteve perdido ele não tem como estar correto, já o perverso conheceu a verdade, mas amou praticar o mal.

Uma das intimidades mais bonita entre as pessoas pode acontecer num encontro assim, ao redor da mesa.

Deus nos faça desfrutar desse melhor!

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s