Momento de Decisão

“Quando andavam pelo caminho, um homem [disse a Jesus]: ‘eu te seguirei por onde quer que fores’.

Jesus respondeu: ‘as raposas têm suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça’.

A outro, [Jesus] disse: ‘siga-me’.

Mas o homem respondeu: ‘Senhor, deixa-me ir primeiro sepultar meu pai’.

Jesus lhe disse: ‘deixe que os mortos sepultem os seus próprios mortos; você, porém, vá e proclame o Reino de Deus’.

Ainda outro disse: ‘vou seguir-te, Senhor, mas deixa-me primeiro voltar e despedir-me da minha família’.

Jesus respondeu: ‘ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus'” (Lucas 9.57-62. NVI).

Quando vemos a beleza, a força, a glória ou a majestade em outro ser humano simplesmente desejamos ter isso também. Querer seguir um homem grande e poderoso é o impulso mais natural dentro de cada um de nós que não desejamos ter uma vida pequena.

Mas um homem de alma adulta, um autêntico “filho do homem” ou um tipo maduro e íntegro de pessoa brilhante e atraente, não se torna ninguém sem que antes tenha perdido todos os benefícios fáceis que uma vida inautêntica poderia lhe garantir.

Quem começa uma aliança com Deus começa perdendo todos os benefícios que seus antigos compromissos lhe davam e garantiam. Se antes desfrutava de segurança e conforto, agora suas próprias decisões de retidão e integridade o excluem dos círculos de favores sombrios e dos direitos sem legitimidade adquiridos.

O começo com Deus se parece com uma grande perda. Mas a sua prosperidade final, com o que se pode comparar?

Não há como começar com Deus só depois que os outros tenham morrido. A lealdade a um morto é a deslealdade para com Aquele que Vive.

Tem muita gente importante nas nossas vidas que simplesmente não irá buscar sua reconciliação com Deus sobre toda a sua vida. Nunca haverá um novo brilho na nossa vida a menos que deixemos essas pessoas em seu caminho letárgico e sigamos corajosamente para a aventura com Deus que nos está proposta.

Um grande homem também não aceita nenhum tipo de “despedida de solteiro”, pois a verdade é que quem se volta à prostituição “uma última vez”, nunca estará verdadeiramente livre do seu espírito imundo.

O único jeito de se “começar com Deus” é se voltando completamente para aquela “uma” tarefa que deveria ter sido feita desde o princípio e fazê-la de verdade agora e até o fim.

As más companhias são as pessoas que floresceram ao nosso redor desde quando nos desviamos do acerto que devíamos ter feito quando tivemos a chance de decisão no passado.

Para ser grande, é preciso ter muita coragem para deixar tudo de falso, voltar ao ponto de início e me entregar, corpo e alma, à carreira que me está proposta segundo o Espírito Santo de Deus.

Existe um lugar de majestade e glória para cada um de nós.

Você crê?

Deus abençoe vocês.

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s