Psicopatologia

Boa noite a todos!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre psicopatologia.

Por que é tão difícil retirar um espírito doentio de uma pessoa? Por que a doença mental é tão forte e permanente?

As psicopatologias recebem a sua força de duas fontes principais: temos os relacionamentos nocivos por um lado e a corrupção do nosso sentimento de identidade por outro.

Ninguém é doente mental sozinho, isoladamente. A psicopatologia tem um contexto psicológico e afetivo que garantem a sua continuidade, mesmo quando começamos a querer nos desviar dela.

Relacionamentos perversos são fundamentais para que a psicopatologia exista. Além disso temos o gradativo efeito distorcedor da nossa personalidade que gradativamente vai chamando de “eu” o resultado doloroso das interações corrosivas que a doença mental mantém com as outras pessoas.

“É difícil, muito difícil expulsar de dentro de alguém um espírito mal”, diz o religioso experiente. Mas como Psicólogo dizemos que a doença mental exerce um fascínio e uma sedução viciante sobre o núcleo da identidade e da afetividade do paciente psiquiátrico.

Quem não muda nos relacionamentos, não muda de disposição interior. Por outro lado, quem não constrói dentro de novas realidades éticas, transparentes e equilibradas, não encontra um “eu” alternativo para deixar de lado aquele outro ineficaz.

Aconselho ao paciente psiquiátrico que pondere em seu coração: “talvez o meu ‘eu’ mais saliente esteja doente e precisando de paz. Talvez os meus melhores ‘amigos’ estejam me fazendo mal”.

Eu já vi homens passarem muitos anos doentes na mente: 5 anos, 10 anos, 15 anos, 20 anos… 50 anos. Há doenças mentais que são tão resistentes que dizemos honestamente: “é impossível vencer o gigante que mora dentro desse ser humano”.

Mas o religioso diz “eu acredito em milagres”; e o Psicólogo diz “eu sei que existe uma saída”.

Quero construir um mundo melhor. Quero habitar ali onde as esperanças encontram realizações.

Certamente você não é a dor mais intensa que lhe aperta pelo lado de dentro; certamente você não ficará sozinho se abandonar as companhias que lhe capturam para dentro da contradição, desesperança e perdição.

Fique alerta! Pense e aja a partir de uma firme avaliação!

Seguindo a sua mente como ela está você está vivendo ou apodrecendo?

Ninguém sai do buraco sem ajuda de baixo, dos lados, de cima e do alto. Mas o primeiro passo para uma nova vida é um passo dado do lado de dentro.

Os danos da psicopatologia são irreparáveis: quem se queimar com esse fogo para sempre carregará as cicatrizes dessa batalha. Contudo, aos corajosos haverá consolo e restauração.

A doença mental é um grande inimigo, mas ela é menor do que nossa capacidade de superação.

O que você é não lhe causa dano; os relacionamentos que lhe convém, não lhe aprisionam em identidades degradantes.

Obrigado por ouvir.

Atenciosamente,

Dr. Rafael Caldeira de Faria, Psicólogo Corporal, CRP 06/89471, e o Fundador do Projeto Terapêutico Toque Divino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s