Visitando “A Cabana”

Boa noite a todos!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o filme “A Cabana” (The Shack), dirigido por Stuart Hazeldine, baseado no livro de William P. Young, com o mesmo nome.

O filme é belíssimo (como o livro), marcado por diálogos profundos e muita reflexão sobre a vida em um mundo marcado pela violência e impiedade, mas também pelo amor e compaixão. Recomendo com certeza!

Tenho três comentários sobre o conteúdo do filme:

O primeiro deles é sobre a Trindade.

No filme, temos um personagem para cada uma das três “pessoas” da Trindade: O SENHOR Deus, o Espírito Santo e o Cristo do SENHOR, Jesus de Nazaré. Contudo, insisto em sublinhar que o Espírito Santo jamais será uma pessoa.

Está escrito nas Escrituras Sagradas que o SENHOR Deus Todo-poderoso se assenta em um alto e sublime trono, portanto pode ser representado por uma pessoa, embora não seja uma pessoa também, mas Deus.

Quanto a Jesus, o Cristo do SENHOR, sabemos que ele foi e é uma pessoa como cada um de nós.

Agora o Espírito Santo é um espírito e mais especificamente é o espírito da Santidade que emana do SENHOR Deus Todo-poderoso e do seu Cristo. Quando um homem não mata, não adultera, não dá falso testemunho, etc., o hálito que sai do seu corpo é o Espírito Santo. A integridade e santidade do SENHOR Deus é o Espírito Santo do SENHOR Deus.

Por isso, quando pensar sobre o Espírito Santo, não visualize uma pessoa, mas sinta o toque de um caráter, da justiça realizada em alguém, da presença do Deus Único e Verdadeiro.

O segundo cometário é sobre uma cena, quando o personagem principal é convidado a se assentar no trono da Sabedoria para julgar o bem e o mal.

No ápice daquele diálogo, a Sabedoria traz os dois filhos vivos do protagonista e, colocando-os lado a lado, insiste com ele dizendo que deve escolher qual deles será escolhido para herdar a vida eterna e qual será escolhido para ir para o inferno, como que estivesse expondo o dilema do SENHOR Deus Todo-poderoso.

A Sabedoria tenta argumentar com ele, enumerando as pequenas faltas de cada um, como se quisesse convencer seu pai de que não há motivo justo o suficiente para a salvação ou condenação.

Entretanto, esse é um falso argumento. O dilema do SENHOR Deus Todo-poderoso não é decidir qual dos seus filhos receberá a vida eterna e qual receberá o juízo eterno. Não, a realidade é que há os filhos do SENHOR Deus, os que se arrependem dos seus pecados e se submetem ao Espírito da Santidade do SENHOR Deus pela fé, e os filhos do Diabo, os que amam e praticam a mentira em todas as suas múltiplas formas.

O que está diante do SENHOR Deus são os seus filhos, de um lado, e aqueles que matam os seus filhos, do outro. Por isso não há dificuldade alguma em assegurar a vida aos justos filhos do SENHOR Deus e a morte eterna aos ímpios agressores do SENHOR Deus.

Todos passamos pelo tempo da ignorância em relação à verdade, mas a partir de determinado ponto o que age no homem é ou o arrependimento sincero e a mudança de vida ou o endurecimento voluntário do coração e a perseverança no erro e maldade.

Jesus, o Cristo, e seus pequenos cristos (cristãos) vivem ainda nessa era para encontrar e salvar os que se haviam perdido, mas pertenceriam ao Pai Celestial. Contudo, eles não são todos e todos não são eles.

Haverá um santo e abençoado dia quando aqueles que matam os santos do SENHOR serão finalmente punidos e deixados sem poder eternamente. Nesse mesmo dia, aqueles que creram no Cristo e se submeteram a ele pela fé, serão coroados e vestidos de glória eterna, introduzidos na presença do SENHOR Deus com alegria insuperável, duradoura e eternamente recíproca. Amém.

O terceiro comentário é sobre a cena em que o ator principal do filme reencontra seu pai, alcoólatra e violento, em uma atmosfera celestial para um abraço de reconciliação.

Tive um pastor que insistia muito na ideia de que “teremos muitas surpresas no céu”, dando a entender que seriam aceitos na presença do SENHOR Deus Todo-poderoso muitas pessoas que viveram suas vidas como ímpios, mas guardando alguma espécie de consciência maior que os absolveria no último minuto por um gesto de reverência como a do bandido arrependido que foi crucificado ao lado do Cristo, Jesus de Nazaré.

Discordo desse pastor. Não acredito em grandes surpresas no último tempo. Certamente, há ignorantes que serão despertados no último suspiro, mas esses são poucos, pouquíssimos.

Ao meu ver, o homem violento, alcoólatra convicto, bem como todos os mentirosos, covardes, adúlteros, assassinos, feiticeiros, ladrões e opressores de todos os tipos, para serem tais homens fizeram um pacto de separação para com o próprio SENHOR Deus e terão o peso da culpa por seus pecados castigados em si mesmos.

Quando um homem se arrepende (muda de direção), então a vingança do SENHOR Deus recai sobre o Cristo, Jesus de Nazaré, Cordeiro de Deus, na cruz. Mas quando não há arrependimento sincero e eterno, a culpa é toda do ímpio e o castigo justo o alcançará.

Por isso que o amor vence: a justiça de Deus prevalecerá, socorrendo o justo oprimido pelo mal do ímpio, e punindo e esvaziando completamente de poder o maldoso desrespeitador.

Eu acredito em milagres!

Uma boa semana para todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s