Fardos difíceis de carregar

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que cultivando uma vida de devoção e fé, uma vida de pureza de espírito e esperanças no Deus de Cristo, o SENHOR!

Hoje vamos ler a Bíblia mais uma vez, um trecho do Evangelho de Lucas. Que o SENHOR Deus nos dê a sua palavra, em nome de Jesus, o Cristo, amém!

“‘Quanto a vocês, peritos na lei’, disse Jesus, ‘ai de vocês também! Porque sobrecarregam os homens com fardos que dificilmente eles podem carregar e vocês mesmos não levantam nem um dedo para ajudá-los'” (Lucas 11. 46. NVI).

Quem legisla, advoga, documenta, contabiliza, normatiza… Geralmente faz isso sobre a vida dos outros, mais especificamente sobre a vida dos simples, dos homens comuns.

Se os peritos na lei estivessem incluídos nas regras que impõe aos demais cidadãos, talvez não fossem censurados pelos olhos divinos, como foram nesse momento.

As pessoas que manipulam os parâmetros da vida em sociedade são os que dominam sobre o povo por meio da força e poder de polícia. Aumentar impostos, criar “novos pecados” ou motivos para punições, é muito fácil arbitrar sobre a vida dos outros, quando há proteções legais para que o mesmo rigor que se aplica ao outro nunca recaia sobre mim mesmo e minha família.

O verdadeiro legislador é um homem de compaixão e grande misericórdia. O Ungido do SENHOR Deus é aquele que trabalha no sábado (shabbat) quando isso significa ajudar seu próximo a carregar seu fardo na vida. Às vezes devemos sacrificar a lei/hábito/costume para fazer a Justiça do SENHOR Deus.

“Como são bonitos os pés dos que anunciam boas novas”.

Quem legisla para a liberdade de todos, legisla para a glória do SENHOR Deus; quem julga segundo a Justiça do SENHOR Deus, pratica o bem e jamais será desarraigado, sua família viverá eternamente.

Se você recebeu poder do alto para determinar como viverá o seu irmão, tenha cuidado para não obrigá-lo a um rigor que traga condenação sobre você que legisla e a sua família.

Jesus, o Cristo do SENHOR Deus, não suporta a hipocrisia dos homens cruéis, que em face do sofrimento, necessidade e vulnerabilidade do seu compatriota se exaltam como tiranos sem coração.

O mais fraco, seja estrangeiro, órfão ou viúva, tem o próprio SENHOR Deus Altíssimo como escudo e fortaleza. O justo humilde será vingado e indenizado em toda medida e além.

Por que você age com orgulho arrogante, como se a posição de influência e poder sobre o povo não lhe tivesse sido dada pelo SENHOR Deus para a prática do bem?

O seu irmão mais fraco é você. A fraqueza e a força são circunstanciais, pois somos todos iguais, à mercê dos desígnios do SENHOR Deus.

Lembre-se do SENHOR Deus enquanto é tempo! Devolva o dinheiro extorquido, restitua os bens roubados!

Viva segundo as leis da sua nação, sabendo que todo caso legal pode ser reinterpretado à luz da complexidade da situação concreta e da misericórdia do Soberano do Universo.

Não é porque algo é legal que a sua aplicação também é ética. Pois às vezes a lei promulgada é antiética e às vezes o cumprimento da ética extrapola as leis da nação.

Aprofunde a sua espiritualidade: “o outro sou eu; o outro é minha família; o outro é minha própria alma”.

Sabe qual a vitória do SENHOR Deus no mundo? O homem íntegro, fiel, leal e justo.

No amor está a chave que desfaz toda amarra de condenação. “Caim, se você fizer o bem acaso não será também aceito?”

O SENHOR Deus em nós é como um refrescante Espírito Santo, mas também como um fogo de juízo e separação para todo aquele que oprime e violenta o seu irmão.

Não é porque todo mundo está fazendo que está certo; não é porque você pode fazer que é justo fazê-lo.

Abandone o direito quando ele promove a injustiça.

“É melhor um bom nome do que os lucros da perversidade”.

O SENHOR Deus enriquecerá o homem bom.

Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Dízimos e ofertas

Boa tarde a todos!

Gostaria de lhes falar um pouco sobre dízimos e ofertas hoje aqui.

Como estão as suas finanças? Como anda a saúde financeira da sua casa?

Todos têm o que comer, roupas para vestir, acesso a transporte, acesso a trabalho, acesso a serviços de saúde, acesso a educação, acesso a lazer?

A primeira etapa em uma conversa sobre o que vamos ofertar ao SENHOR Deus é se de fato temos algo para ofertar a ele. Quem dá dinheiro para igrejas, mas não supre as necessidades básicas de si e dos seus, está longe do espírito da fé que gera ofertas de aroma agradável ao SENHOR Deus.

Os dízimos e as ofertas são uma resposta, uma retribuição, não um princípio, um começo, uma largada.

Enquanto você ou os seus estão com fome, não é hora de estar pensando nessas coisas.

Primeiro você faz uma aliança com o SENHOR Deus; depois o Espírito de Santidade do SENHOR Deus faz você prosperar; e então você abençoa a obra daqueles que se gastam e desgastam para ensiná-lo a andar nos caminhos do SENHOR Deus.

A casa onde se deve entregar dízimos e ofertas é aquela que tem as Leis do SENHOR Deus escritas nas suas paredes e dentro do coração daqueles que servem ali.

Não dê dízimos e ofertas em lugares que não pagam salários justos para aqueles que servem no templo. Pois há lugares de “fé” onde todos são explorados. Ali não é a casa do SENHOR Deus.

Também não se deve dar dízimos e ofertas para pessoas sem o Espírito Santo, quer dizer, a pessoas que mentem, que roubam, que oprimem, que adulteram, que falam palavras más (palavrões, insinuações imorais, escárnios, zombaria), que agem com malícia, que enganam, que têm procedimentos secretos, que têm filhos ímpios ou insubordinados, que têm esposas levianas, que não têm domínio próprio, que bebem ou usam drogas (lícitas ou ilícitas) para se recrear, entorpecer, consolar ou agir, etc.

Não é porque alguém se diz “filho de Deus” que ele comprovadamente anda segundo o Espírito do SENHOR Deus. Apenas aqueles que são justos e praticam o amor são Filhos do SENHOR Deus.

Mas chega um dia, para todo o Filho do SENHOR Deus, quando o seu socorro chega e o Eterno Deus, o SENHOR, o exalta sobremaneira na presença de todos os homens. Nesse dia, recompensado e ajudado super-abundantemente, ele deve separar dízimo e ofertas para patrocinar a obra do SENHOR Deus que o alcançou e curou.

A Palavra do SENHOR Deus diz que há recompensas imensuráveis e maravilhosas para aquele que se exercita na fé através dos seus dízimos e ofertas. Multiplicação, renovação, prosperidade, saúde, alegria, amor e paz multiplicados por mil, é o que espera aqueles que dizimam e ofertam segundo o Espírito Santo do SENHOR Deus.

O dono de uma cidade se transforma no senhor de uma nação; o senhor de uma família se transforma no pai de uma multidão.

Eu acredito no poder dos dízimos e das ofertas totalmente dedicadas ao SENHOR Deus.

Hoje estou tentando sobreviver, mas um dia terei a graça de dizimar e ofertar como um príncipe da nossa nação.

Que o SENHOR Deus, o Verdadeiro Pai, seja com todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.