Desmistificando a revelação de Deus

Boa noite a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que tomando consciência mais e mais das fontes da vida e dos atos do Criador.

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a revelação do SENHOR Deus.

Os teólogos se debatem em torno da questão do conhecimento de Deus, um conhecimento que pode ser natural ou revelado, argumentam.

Sinto um incômodo profundo com uma das proposições que diz que “Deus opta por se fazer conhecido”, deixando sua marca na história ou falando ao homem de forma direta por meio dos seus profetas.

Não acredito que esse nível de deliberação seja possível, pois entendo e creio que absolutamente o SENHOR Deus é aquele que É.

Explicando um pouco, o SENHOR Deus não “opta” por se fazer conhecido, nem se revela com exclusividade, pois em todos os povos, em todas as gentes, o SENHOR Deus e sua Lei (Espírito Santo) são o fundamento de toda a vida e o baluarte de toda a sanidade.

A voz do SENHOR Deus é ouvida em todas línguas e entendida por gentes de todas as nações, porque não há como ocultar o Universo do conhecimento da glória do Todo-verdadeiro.

Ao longo da vida somos sustentados por essa mão invisível que nos socorre e nos preserva como jóias preciosas e filhos amados, uma mão que promove encontros perfeitos e nos oferece um caminho de existência corretivo, justo e bom.

Mesmo na dor e sofrimento sabemos no íntimo que os caminhos da bondade e fidelidade são os únicos que prosperam eternamente, dando-nos continuidade e razão.

O SENHOR Deus é o caminho, a verdade e a vida, e todo aquele que se torna um cristo por meio da fé, torna-se também um foco, um ancoradouro e um aspersor da vida divina, da poderosa graça de Deus.

Moisés era homem como você e eu, e, no entanto, traduziu em suas próprias palavras a índole do SENHOR Deus, que lhe acolheu.

Cada um de nós é único e especial (você é muuuuuito especial!).

Sua jornada será repleta de escapes e livramentos, confirmações e esperanças. Nenhum homem atravessa a vida sem testemunhar a bondade e a misericórdia do SENHOR Deus, o Autor.

Seu protagonismo emana da divindade que está aí dentro, falando sinceramente sobre o que você deve fazer agora, como pessoa de integridade e fé.

Eu sei que é difícil quando lemos nas Escrituras algo que não compreendemos completamente ou que contraria nosso entendimento fundamental. Mas a verdade é que as Escrituras são uma coleção de testemunhos humanos, perspectivas e confissões. Nela temos revelação tanto quanto a nossa experiência revela a onipresença do SENHOR Deus Pai.

Jesus disse que “isso é assim para que vocês saibam que o filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados” (Marcos 2. 10). Isso quer dizer que você e eu podemos alcançar a paz com o SENHOR Deus a ponto de respeitando a sua índole promovermos a reconciliação de outros com tudo aquilo que crê.

Você sem os ídolos, longe da mentira e do engano, é um santo filho do SENHOR Deus. Sem pecado você traz um novo vocabulário para transmitir ao mundo a sua revelação do Santo de Deus.

Jesus é um primogênito por essência, mas você é um revelador da glória do SENHOR Deus porque passará também pelo mesmo caminho de fé e paixão.

Olhe para a longa corrida. Dê passos de distância para recontar a sua história.

Se a dor e a enfermidade ainda não lhe trouxeram ao juízo perfeito, em breve a hora da morte lhe trará ainda mais radicalmente à necessidade de reconhecer que há somente um Deus e que seu nome sempre foi “Eu Amo Você”.

Que o SENHOR Deus lhe abençoe profundamente, porque você já sabe da graça de Deus!

Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, homem de dores.

Disciplina na família

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que a cada dia mais estejam convivendo em um ambiente respeitoso e acolhedor, fazendo da sua casa um lar!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a disciplina na família.

O que é um casamento?

Casamento é uma aliança entre duas pessoas, um pacto de amor e fidelidade, firmada sobre regras de compromisso. É por meio de um discurso que consentimos e estabelecemos os parâmetros que a fazem valer e continuar.

Assim, defendo que o casamento é um prêmio delicado, que precisa de muito investimento e honra para seguir eternamente.

Qualquer casamento que não possa terminar é patológico, gera doenças. Mas aqui não quero falar como psicólogo, mas apenas como teólogo amador.

O casamento é um tipo de relacionamento que precisa da concordância das duas partes, masculina e feminina, para existir na presença do SENHOR Deus.

Estou falando sobre essas coisas de modo introdutório, porque desejo ensinar sobre a importância da disciplina no lar.

O marido precisa disciplinar a esposa e os filhos; a esposa precisa disciplinar o marido e os filhos; e os filhos precisam disciplinar os irmãos e os pais.

Essa ideia pode parecer obtusa, mas acredito que dentro de nós o SENHOR Deus coloca parâmetros de justiça que concedem a sensibilidade necessária para a mútua correção e ensino nos caminhos eternos.

O homem não pode permitir que o relacionamento continue sem que ele seja respeitado; a mulher não pode permitir que o relacionamento continue sem que seja amada acima de todas as coisas; o filho não pode permitir que o relacionamento continue sem que seja ensinado pela melhor atenção de seus pais.

Temos que perceber que a vida familiar acontece dentro de relacionamentos em que cada um precisa assumir e se responsabilizar por sua parte.

É por essa razão que o homem pede respeito, antes de tudo; a mulher, fidelidade, amor e prioridade; a criança, atenção e engajamento na sua educação.

Preciso dizer que a disciplina no lar é FUNDAMENTAL.

Aqueles que são negligentes em lutar pela parte da aliança que os toca acabam mal, muito mal.

Há as doenças psicológicas, delas falamos em um outro momento, mas principalmente a morte espiritual.

Por exemplo, um homem definha se as pessoas da sua casa são desrespeitosas na sua presença; a mulher se desanima da vida quando há rumores de infidelidade conjugal; e as crianças se tornam verdadeiros estranhos quando seus pais se recusam a participar solidariamente das suas aventuras.

Defendo que se volte a atenção para si mesmos e para o SENHOR Deus, para ouvir, para sentir, para se reconectar. Depois disso, deve-se agir em nome do acerto mais profundo do que as aparências da cordialidade exterior e rotineira.

Se o seu marido não fala com você em primeiro lugar, então você precisa discipliná-lo; se o seu pai não participa da sua vida, então você precisa discipliná-lo; se a sua esposa não o trata como o senhor da sua casa, então você precisa discipliná-la.

Saiba dessas coisas em seu interior e então peça ao Deus Altíssimo, o SENHOR, pelo caminho perfeito para disciplinar a sua família.

Disciplinar é diferente de agir irracional, violenta ou brutalmente, mas é igual a exigir com mansidão e fé que os termos da aliança que fundaram e sustentam a sua família sejam observados.

Se o seu relacionamento não é uma aliança no SENHOR Deus, então precisa terminá-lo e começar do princípio, só que direito. Por outro lado, se houve verdade e transparência para com o Soberano no momento do estabelecimento da sua relação com o outro, então é necessário investir em conhecer e aprofundar os méritos dessa relação.

Disciplina na família é levar o SENHOR Deus à sério no coração.

Ou cada um cumpre o seu papel ou é melhor se afastar da toxidade do convívio desgraçado.

Não tenha medo de por à prova os seus relacionamentos importantes, pois eles moldarão o seu espírito, para o bem ou para o mal.

Pense nisso!

Em oração por todos vocês! Orem também por nós!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Uma casa dividida cairá

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Que a graça e a paz de nosso Senhor Jesus, o Cristo do SENHOR, os alcancem!

Hoje vamos ler mais um trecho da Bíblia. Que o SENHOR nos dê a sua Palavra!

“Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. (…)

Mas alguns deles disseram: ‘é por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa demônios’. (…)

Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: ‘todo reino dividido contra si mesmo será arruinado e uma casa dividida contra si mesma cairá. Se Satanás está dividido contra si mesmo, como o seu reino pode subsistir? (…) Se eu expulso demônios por Belzebu, por quem os expulsam os filhos de vocês? Por isso, eles mesmos estarão como juízes sobre vocês. Mas se é pelo dedo de Deus que eu expulso demônios, então chegou a vocês o Reino de Deus. (…) Aquele que não está comigo é contra mim e aquele que comigo não ajunta, espalha’. (…)

Enquanto Jesus dizia estas coisas, uma mulher da multidão exclamou: ‘feliz é a mulher que te deu à luz e te amamentou!’

Ele respondeu: ‘antes, felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e lhe obedecem” (Lucas 11.14a, 15, 17-18a, 19-20, 23, 27-28. NVI).

Só existe um modo de se expulsar demônios, qual seja, obedecendo aos mandamentos do SENHOR Deus.

As pessoas ficam impressionadas quando veem um milagre, dizem-se perplexas e maravilhadas diante da manifestação de autoridade e poder. Mas toda a autoridade e poder emanam de uma mesma fonte: do SENHOR Deus.

Colocar a planta dos pés sobre a Lei de Deus, conceder espaço para a ação do Espírito Santo, isso é a fonte de toda a transformação positiva em todos os níveis.

Atravesse comigo a fumaça de mistério: Jesus expulsava demônios porque na Lei do SENHOR meditava de dia e de noite, porque se arrependia de todo o ímpeto de transgressão cotidianamente, porque obedecia integralmente aos chamados do Pai, o SENHOR.

Um dia, no Seminário Teológico Servo de Cristo, onde eu cursava meu mestrado em divindades, que não consegui completar, infelizmente, um professor discutia conosco as teorias da inspiração divina, ou seja, como é que as Escrituras vieram a ser escritas? Como que as palavras de alguns homens chegaram a ser reconhecidas como legítimas palavras do SENHOR Deus?

A resposta que veio aos meus lábios foi a seguinte: porque eles se arrependeram. O único jeito de tirar de dentro de mim as palavras do SENHOR Deus é me arrependendo de todo o pecado, pois é assim que coloco para dentro do meu espírito o Espírito Santo de Deus.

Da mesma maneira, um espírito demoníaco ou imundo (trad. simplesmente pecaminoso) não é capaz de retirar de outro um espírito ruim. Igualmente, um espírito santo ou procedente do SENHOR Deus não pode instalar um espírito maligno nem conviver com ele, pois a Lei do SENHOR Deus expulsa para longe toda a sorte de enfermidade.

A massa se surpreende com a transformação miraculosa, mas o justo adverte: haverá juízo para aqueles que não se convertem dos seus pecados nem se dignificam a obedecer às justas ordenanças do SENHOR Deus.

Jesus, o Primogênito, sou eu e você no dia do nosso arrependimento e perdão.

O antídoto para os espíritos endemoninhados é “não matarás, não adulterarás, não cobiçarás, não darás falso testemunho contra teu próximo, adore ao SENHOR o teu Deus e somente a ele preste culto, etc.”

O poder para ajudar começa aqui dentro de nós.

Você é capaz de se dar suporte na direção correta? Há fé no seu coração para aceitar os estatutos do SENHOR como regra e prática de vida?

Se você sair do buraco onde se enfiou, certamente ajudará outros a saírem de semelhantes.

O Reino de Deus chega no momento quando alguém nos toca segundo os caminhos de obediência à justiça do SENHOR Deus.

Repreensão do mal, encorajamento do bem: isso é amor.

Obrigado por acompanhar o nosso blog! O SENHOR Deus está aqui nesse lugar!

Que a graça e a paz de nosso Senhor Jesus, o Cristo do SENHOR, sejam com todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo, e o editor do blog Curados por Deus.

Quando se está solteiro

Boa noite a todos!

Como passaram esta última semana? Vocês estão bem? Suas famílias estão bem?

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a solteirice ou o tempo quando se está solteiro.

Não fui muito feliz quando me tornei um jovem solteiro, entre os meus 20 e 30 anos. Como foi dolorido para mim a falta do cônjuge!

Fiz muita coisa errada nesse tempo e acabei mal, quase perdendo a vida por causa do pecado.

Não tive a graça de ter bons conselheiros na época, que pudessem me falar sobre esse tempo com sabedoria e relevância.

Hoje, às cinzas do Carnaval da nação Brasileira, porém, é dia de falar sobre se estar solteiro.

A partir do final da adolescência, quando se alcança os 18 anos de idade, passamos todos a sermos impulsionados por uma força divina, que cria em nós a necessidade de procurar pelo “meu par”.

Essa força nos empurra na direção das festas e dos encontros de multidão, pois acha que precisamos ver muita gente até conseguirmos discernir o outro que é para sempre o nosso lugar.

Em parte somos ajudados por esse impulso, mas em partes somos tentados por ele, pois nem toda a festa e ajuntamento de fato glorifica ao SENHOR Deus.

A música não é neutra, jamais. E quando um homem se põe a cantar, os elogios que ele faz são verdadeiramente atos de adoração. Por essa razão, se você quer realmente se “dar bem”, deve procurar as festas e ajuntamentos cujo Deus é o SENHOR!

Por outro lado, se você quer viver e preservar o seu juízo, deve se abster de toda forma de estimulação sexual, porque a masturbação cria o espírito imundo que conduz o homem a toda forma de adultério, fornicação e imoralidade. Quem não se masturba é salvo do espírito do demônio que arruína o coração.

Álcool e drogas não enturmam ninguém, mas apenas golpeiam a sua mente para que você se torne capaz de fazer coisas das quais se arrependerá mais tarde.

No SENHOR não há experiências ou testes de parceiros, mas, como uma flecha certeira, uma única pessoa, que traz em suas asas uma cura maior do que você pode imaginar. O cônjuge da parte do SENHOR é como um beijo de amor direto na alma, aquecendo o coração.

Não se estrague! Não seja tolo como eu fui!

Honre os seus pais e a casa dos sogros que você ainda não conheceu!

Preserve-se puro! Guarde o seu corpo para a santidade, fazendo da castidade um culto vivo ao SENHOR!

Não coma na mesa dos demônios! Nenhuma festa é neutra e se ela não exalta ao SENHOR e ao seu Cristo abertamente, também não o ajudará a encontrar o seu parceiro na fé!

Afaste-se das más companhias!

Vamos orar ao SENHOR não somente pela chegada do seu cônjuge, mas também pela coragem e fidelidade que você precisa possuir enquanto ainda está sozinho e carente.

O caminho mais direto e veloz para a felicidade conjugal é o arrependimento de pecados e a aposta total da fé no SENHOR Deus, o Todo-poderoso!

Hoje mesmo vi um vídeo de um astrônomo expert mostrando imagens do Universo feitas com lentes gigantescas e poderosas, que sugerem que as galáxias que existem estão todas alinhadas de tal maneira que a totalidade do cosmos se parece com uma grande borboleta com três pares de asas… Não sei se essa imagem é verdadeira, mas sei que há desígnio e design divino em tudo e para tudo o que há!

Volte atrás em qualquer decisão de praticar pecados, abandone toda a forma de maldade e malícia.

Trabalhe com a força que o SENHOR, o seu Deus, lhe dá na construção de um mundo melhor! E fale com o Altíssimo a respeito do seu cônjuge, como se já estivesse na presença dele(a).

Assim como o sol certamente nascerá enquanto existirem terra e céu, também o seu par e você se encontrarão no tempo perfeito para a consumação da sua união eterna.

Guarde os seus olhos e coração de toda a forma de prostituição! Desvie de toda a sensualidade e sedução, que fazem cair! Santifique-se para Deus, pois isso lhe renderá uma herança que jamais irá perecer!

Sabia que eu e a minha esposa oramos por você?

Você não está só!

Que o SENHOR Deus abençoe a todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Perdoar…

“Certo dia Jesus[, o Cristo,] estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: ‘Senhor, ensina-nos a orar, como João [Batista] ensinou aos discípulos dele’.

Ele lhes disse: ‘quando vocês orarem, digam: Pai! (…) Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem” (Lucas 11.1-2a, 4a. NVI).

Boa tarde a todos!

Quem perdoa primeiro? O SENHOR Deus ou eu e você?

Nesse trecho surpreendente das Escrituras Sagradas, Jesus, o Cristo, nos ensina a darmos bom exemplo para o SENHOR, nosso Deus, o Altíssimo Todo-poderoso.

Quem não perdoar o seu próximo não será perdoado pelo SENHOR no dia do acerto final.

Mas de que fala o perdão? O que é mesmo perdoar?

Perdoar é não tratar o outro à luz da dívida que ele contraiu contra nós, mas à luz da dignidade que todos habitaríamos se andássemos em pazes com o SENHOR, Deus Supremo.

Perdoar não é esquecer, nem anular a dor.

Perdoar é tratar direito até mesmo aquele que me desrespeitou e feriu.

Perdoar é apostar na chance de arrependimento que existe para aquele que se desfigurou pelo pecado.

Perdoar é não passar para frente a corrente de raiva, revolta e ódio que nos engarrafou.

Perdoar é entregar a ira ao SENHOR Deus, confiando que o poder de juízo ele perfeitamente há de exercer.

Perdoar não é dizer que está tudo bem, mas incluir o SENHOR Deus na minha dor e disputa até que tudo de fato esteja bem.

Perdoar é chorar a dor, impotente, mas cheio de fé, ao invés de chutar cachorros, criancinhas e idosos, ou buzinar com ódio no trânsito.

Perdoar é tratar o mundo com gentileza, respeito, bondade e paciência, quando alguém me tratou sem gentileza, com desrespeito, maldosamente e impacientemente.

Perdoar não é barato, mas dá para ser feito… E o ingrediente rico nessa massa é uma pitada de fé e esperança!

Quem não crê na terceira, ou melhor, na primeira pessoa do Universo, não tem chances de perdoar.

Em resumo, o SENHOR, Deus Eterno, existe, vive e vê todas as coisas. Isso significa que você pode descansar, pois justiça perfeita será feita para você antes do fim.

Se você permanecer em fé e retidão, mesmo apesar do sofrimento, você há de ver nascer o sol de um novo dia, carregando em suas asas um presente de reparação perfeita, transbordante, sacudida e retumbante!

Deus lhe fará justiça! O SENHOR Deus lhe fará justiça!

Por isso perdoe agora, perdoe primeiro… Demonstre para o SENHOR Deus como é grande a sua fé e como é puro o seu amor… Por ele!

O bondoso Deus vem nos visitar! Erga seus olhos, pois hoje o Filho de Deus vem lhe visitar!

Prepare uma mesa com a refeição da Presença e deixe Jesus, o Cristo, também lhe perdoar!

O SENHOR é bom e sua misericórdia, eterna!

Uma excelente tarde a todos!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Interpretando o sofrimento

Boa noite a todos!

Hoje temos um vídeo da Rosemead School of Pychology, com a Dra. Elizabeth Hall, Psicóloga, falando sobre três maneiras como podemos interpretar o sofrimento do ponto de vista psicológico cristão.

Em primeiro lugar, o sofrimento é um resultado natural da prática de pecados. “Desobediência dói”, diriam os meus pais, em suma.

Em segundo lugar, o sofrimento é um fogo que refina o caráter. Não existem grandes homens, sem grandes adversidades, adversários e provações para purificá-los e fortalecê-los. Apenas a oposição é capaz de nos exercitar a tenacidade e a perseverança nos caminhos da justiça e do bem.

Em terceiro lugar, o sofrimento é a única experiência capaz de alterar nossa visão de mundo. Da arrogância do inexperiente para a humildade do ancião, não existe um outro modo de ajustarmos as lentes do nosso discernimento, senão através dos dolorosos acontecimentos da vida. Não há ganho de perspectiva, nem sabedoria universal, sem a travessia do mar revolto ou do deserto solitário. Até que a nossa condição humana, vulnerabilidade, dependência do SENHOR Deus e interdependência, tenha nos alcançado em cheio, podemos permanecer alienados em pensamentos estreitos e irreais.

Como é difícil encontrar bons materiais de Psicólogos para essa seção “Aprendendo com outros”.

Aproveitem o excelente material!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Um amor grande e largo

Boa tarde a todos!

Hoje temos o vídeo infantil “Grande e Largo” do grupo 3 Palavrinhas vol.3, inaugurando a subcategoria Infantil dendro da categoria Adoração cristã.

A mensagem dessa música é muito simples e poderosa: o amor de Jesus, o Cristo, é grande e largo.

A misericórdia do SENHOR Deus se estende a todos, absolutamente todos os homens. Ninguém que se arrependa dos seus pecados e se volte de coração sincero para o Deus Altíssimo ficará de fora do seu maravilhoso Reino.

Todo justo será acolhido e bem vindo na presença do Rei Jesus, não importa o tamanho da imundícia praticada no tempo da sua incredulidade.

O SENHOR Deus abençoe a todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Baterista.