Maranata: ora vem, Senhor Jesus!

Boa noite a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que estejam bem, encontrando forças sobrenaturais e dependendo delas!

Hoje temos aqui mais um belíssimo vídeo na seção de adoração cristã, bandas. Quem canta e ministra esse louvor extraordinário é o trio Joyce Carnassale, Marcel Freire e Riane Junqueira, cantores, e banda em um ato espetacular na Avenida Paulista, no coração de São Paulo, SP, Brasil.

Poucos momentos conseguem transmitir ao meu coração com tanta força a beleza do meu chamado divino a amar e cuidar da minha cidade, estado e nação!

Eu amo o meu povo, a minha terra, a minha língua e o meu Senhor, Jesus de Nazaré, o Cristo do SENHOR Deus!

Sejam abençoados, vocês, meus irmãos brasileiros e, por meio do seu amor e submissão ao Rei Eterno, abençoem todas as demais nações da face da terra!

Hoje é dia de celebrarmos: o Brasil é do SENHOR Deus!

Com poder, Todo-poderoso Deus, tira os postes de idolatria da nossa terra! Sejam fechadas para sempre as casas de prostituição dessa nação! Aqui no Brasil seremos chamados de Povo do Deus Altíssimo e honraremos o seu santo nome, Deus dos Exércitos!

Eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor! Na presença do Deus Vivo há um lugar para nós, minha amada geração!

Apenas tenham fé junto de mim, meus irmãos! Arrependam-se dos seus pecados, sejam batizados (morram com Cristo e renasçam com ele) e amem ao SENHOR Deus de todo o seu coração, forças e entendimento!

Nós podemos ser LINDOS na presença do nosso Pai Celestial!

Apreciem o louvor e entreguem-se ao SENHOR Deus e ao seu Cristo, Jesus!

Amo vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, ex-baterista.

PS: estou saindo de férias. Se Deus quiser, retorno no começo de setembro.

What a Beautiful Name

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que as dores da vida não estejam sendo capazes de sufocar a sua esperança em Cristo: o obediente prosperará eternamente!

Hoje temos um belíssimo vídeo com um coral infantil, liderado pela adolescente Reese Oliveira, cantando a música What a Beautiful Name da Hillsong Worship, do album Let There Be Light, juntamente com seus irmãos, primos e amigos da igreja; e com o Rise Up Children’s Choir, o Barlow Arts Conservatory, o Utah COPA e o One Voice Children’s Choir.

A pureza das vozes infantis fazem-nos lembrar da pureza necessária para uma vida de obediência que realmente agrada ao SENHOR Deus.

O nome de Deus, SENHOR, e o nome do Cristo, Jesus, sejam santificados e pronunciados constantemente e de maneira reverente em toda a terra e nos lábios de cada um de nós.

Os nomes dos nossos Senhores são poderosos para salvar, livrar, curar, prosperar, pacificar, abençoar, ressuscitar…!

Ao final desse vídeo, diga “SENHOR, eu estou aqui; Jesus, eu confio em ti!”

Santificado seja o teu nome, SENHOR Deus, Rei meu e Papai!

Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, ex-baterista.

Inerrância bíblica

Boa noite a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que a cada novo dia estejam se dando conta do privilégio que é o tempo em que podem estar juntos, compartilhando a vida e tocando uns aos outros em amor!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o conceito teológico chamado inerrância bíblica.

A organização da religião cristã foi acontecendo, uma vez que a cada dia se tornava mais relevante a nova religião centrada na pessoa de Jesus, o Cristo do SENHOR Deus.

Os apóstolos como fundamentos foram dando lugar aos escritos apostólicos e canônicos, pois com sua inevitável morte, seria necessário levantar fundamentos atemporais para a religião cristã.

Houve então concílios e reuniões com autoridades da igreja institucionalizada em que se elegeram quais livros/cartas seriam acrescentados ao cânon judaico, como Escrituras Sagradas, Palavra de Deus.

A partir dessa escolha, foram necessárias explicações e argumentos para justificar essa biblioteca especial. E nesse ponto chegamos à ideia fundamental da inspiração divina.

“Os livros da Bíblia foram inspirados pelo SENHOR Deus”, postularam. Por essa razão, concluíram, “a Bíblia não contém erros”, o conceito de inerrância.

Esse último salto, a meu ver, se dá mais por um tipo de reserva de mercado do que por uma sincera observação do material bíblico, pois a Bíblia contém erros. Por exemplo, em Apocalipse 7. 4-8, as 12 tribos de Israel são enumeradas equivocadamente, pois as tribos de Manassés e Benjamim são a tribo de José, seu pai, e a de Dã não é mencionada.

Mas teólogos, como o Dr. William Lane Craig, argumentam que a Bíblia contém erros, mas todos os seus ensinos são verdadeiros. Infelizmente, porém, isso também não é verdadeiro. Por exemplo, no livro Eclesiastes de Salomão, o autor ensina que a vida é vazio de vazios e que tudo o que o homem faz na terra é correr atrás do vento, o que somente é verdadeiro para pessoas praticando pecados, como o próprio Salomão, que no final da vida construía templos pagãos para suas “esposas”. Ou também a conclusão do livro de Jó, que desmerece toda a contribuição dos discursos dos amigos de Jó, sendo que elas, na verdade, são o único conteúdo divinamente inspirado, que justifica a presença desse livro na Bíblia.

Assim, chegamos à conclusão de que o conceito de inerrância bíblica quer induzir-nos, manipular-nos, inclinar-nos em uma direção, para darmos importância ao texto bíblico e aos seus intérpretes autorizados, por um motivo que na verdade não é verdadeiro.

Infelizmente, a Bíblia contém erros. Mas é muito importante!

O único jeito de se interpretar a Bíblia corretamente é se concentrando na sua própria experiência de arrependimento e fé, pois é o Espírito Santo que nos convence da verdade, da justiça e do juízo do SENHOR Deus.

Quem se move sinceramente na direção do SENHOR Deus, Pai Celestial, vai sendo santificado, quer dizer, a verdade divina vai ganhando espaço em seu coração e, desse modo, ele consegue discernir a verdade de Deus no meio dos textos sagrados e na vida, onde ele está.

O caminho que leva à salvação (socorro, livramento, cura, perdão, favor divinos, etc.) não é difícil de se encontrar, mas requer a coragem de julgar e decidir, conforme os santos mandamentos do SENHOR Deus.

A Bíblia Sagrada contém erros, mas o justo encontra nela a sua força e consolação.

A Bíblia Sagrada contém ensinos equivocados, mas o santo encontra nela a esperança de vida eterna.

Prefiro a Bíblia Sagrada do que qualquer outra coleção de livros, pois meditando sobre suas palavras eu ouço a voz do SENHOR Deus, o único Deus Verdadeiro.

Eu acredito em milagres!

Uma boa semana para todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Contra quem o filho do homem se opõe

Boa noite a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que em espírito de renovação de interesse uns pelas vidas dos outros!

Hoje vamos ler mais um trecho do Evangelho de Lucas. Que o SENHOR Deus nos dê a sua palavra, em nome de Jesus, o Cristo, amém!

“Um dos peritos na lei lhe respondeu: ‘mestre, quando dizes essas coisas, insultas também a nós'” (Lucas 11. 45. NVI).

Quem são as pessoas que são acusadas e perseguidas pelo Filho de Deus?

Em primeiro lugar, os fariseus, que são os donos da religião. A hipocrisia de tais homens cheira mal na presença do SENHOR Deus.

Eles distorcem todos os mandamentos do SENHOR Deus, porque amam o luxo e o poder. Como eles vivem das aspirações de fé da sua nação, eles precisam continuamente se fazer necessários, de modo que não permitem que o povo jamais chegue a um entendimento claro e objetivo a respeito do SENHOR Deus e sua vontade.

Nos dias de hoje temos o mesmo cenário, porque todas as gerações repetem a mesma relutância para com o amor e a justiça divinos, que não são complicados, muito menos impossíveis.

Quando as pessoas se reconciliam com o Deus Altíssimo, então sua vida fica mais simples e já não se deixam manipular pelos religiosos da ocasião.

Mas aqui, nesse texto, temos uma outra figura, que se sente ofendida pelo Cristo do SENHOR Deus, os peritos na lei.

Peritos na lei são todas as pessoas que trabalham com documentos, Direito, legislação, Justiça, contabilidade, economia, entre outros. Por assim dizer, estamos pensando nas pessoas que regulamentam a vida do povo por meio de leis, decretos e manipulação de regras de vida, propriedade e conduta.

Nos textos que se seguem a essa declaração, o Senhor Jesus torna explícita a sua crítica a esses homens, o que consideraremos adiante, se Deus quiser.

No entanto, por hora, basta para a nossa reflexão o fato de que em todas as gerações os religiosos “oficiais”, formados pelas escolas de doutrinação e teologia, geralmente transformam tradições humanas em “palavra de Deus” e têm uma grande dificuldade para de fato tomarem decisões puras e aprovadas, porque precisam ganhar dinheiro com sua doutrina e prática de religião.

Por outro lado, também todos os profissionais do manejo das leis/documentos/números da nação, também estão sub judice, pois são responsabilizados pelo Filho de Deus pela falta de fé genuína no coração daqueles a quem servem.

Se a nossa elite realmente servisse ao SENHOR Deus, então haveria igualdade, fraternidade e paz na terra.

A mesma crítica de então se aplica a hoje.

Nada mudou!

Fariseus (religiosos) e peritos na lei (profissionais do Direito e da Justiça, legisladores, economistas, estudiosos, mestres, auditores, entre outros), donos do poder circunstancial, há uma terrível acusação contra vocês.

Arrependam-se enquanto há tempo!

É melhor ficar pobre do que pecar contra o SENHOR Deus; é melhor participar como escravo do que como senhor, em uma vida vazia de esperança.

A boa notícia para os Filhos de Deus é que do SENHOR Deus é a prata e o ouro, o poder, a honra e o domínio. Reinar com Cristo é Reinar, com “R” maiúsculo.

Os caminhos de Deus são justos e verdadeiros, seus juízos são um bálsamo para a terra e céus.

Parem de confundir, parem de explorar.

O Reino do SENHOR Deus é um reino de amor. Abandone toda forma de prostituição, pois os lucros do roubo e assassinato apodrecem o coração e envelhecem a alma.

Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Disciplina na família

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que a cada dia mais estejam convivendo em um ambiente respeitoso e acolhedor, fazendo da sua casa um lar!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a disciplina na família.

O que é um casamento?

Casamento é uma aliança entre duas pessoas, um pacto de amor e fidelidade, firmada sobre regras de compromisso. É por meio de um discurso que consentimos e estabelecemos os parâmetros que a fazem valer e continuar.

Assim, defendo que o casamento é um prêmio delicado, que precisa de muito investimento e honra para seguir eternamente.

Qualquer casamento que não possa terminar é patológico, gera doenças. Mas aqui não quero falar como psicólogo, mas apenas como teólogo amador.

O casamento é um tipo de relacionamento que precisa da concordância das duas partes, masculina e feminina, para existir na presença do SENHOR Deus.

Estou falando sobre essas coisas de modo introdutório, porque desejo ensinar sobre a importância da disciplina no lar.

O marido precisa disciplinar a esposa e os filhos; a esposa precisa disciplinar o marido e os filhos; e os filhos precisam disciplinar os irmãos e os pais.

Essa ideia pode parecer obtusa, mas acredito que dentro de nós o SENHOR Deus coloca parâmetros de justiça que concedem a sensibilidade necessária para a mútua correção e ensino nos caminhos eternos.

O homem não pode permitir que o relacionamento continue sem que ele seja respeitado; a mulher não pode permitir que o relacionamento continue sem que seja amada acima de todas as coisas; o filho não pode permitir que o relacionamento continue sem que seja ensinado pela melhor atenção de seus pais.

Temos que perceber que a vida familiar acontece dentro de relacionamentos em que cada um precisa assumir e se responsabilizar por sua parte.

É por essa razão que o homem pede respeito, antes de tudo; a mulher, fidelidade, amor e prioridade; a criança, atenção e engajamento na sua educação.

Preciso dizer que a disciplina no lar é FUNDAMENTAL.

Aqueles que são negligentes em lutar pela parte da aliança que os toca acabam mal, muito mal.

Há as doenças psicológicas, delas falamos em um outro momento, mas principalmente a morte espiritual.

Por exemplo, um homem definha se as pessoas da sua casa são desrespeitosas na sua presença; a mulher se desanima da vida quando há rumores de infidelidade conjugal; e as crianças se tornam verdadeiros estranhos quando seus pais se recusam a participar solidariamente das suas aventuras.

Defendo que se volte a atenção para si mesmos e para o SENHOR Deus, para ouvir, para sentir, para se reconectar. Depois disso, deve-se agir em nome do acerto mais profundo do que as aparências da cordialidade exterior e rotineira.

Se o seu marido não fala com você em primeiro lugar, então você precisa discipliná-lo; se o seu pai não participa da sua vida, então você precisa discipliná-lo; se a sua esposa não o trata como o senhor da sua casa, então você precisa discipliná-la.

Saiba dessas coisas em seu interior e então peça ao Deus Altíssimo, o SENHOR, pelo caminho perfeito para disciplinar a sua família.

Disciplinar é diferente de agir irracional, violenta ou brutalmente, mas é igual a exigir com mansidão e fé que os termos da aliança que fundaram e sustentam a sua família sejam observados.

Se o seu relacionamento não é uma aliança no SENHOR Deus, então precisa terminá-lo e começar do princípio, só que direito. Por outro lado, se houve verdade e transparência para com o Soberano no momento do estabelecimento da sua relação com o outro, então é necessário investir em conhecer e aprofundar os méritos dessa relação.

Disciplina na família é levar o SENHOR Deus à sério no coração.

Ou cada um cumpre o seu papel ou é melhor se afastar da toxidade do convívio desgraçado.

Não tenha medo de por à prova os seus relacionamentos importantes, pois eles moldarão o seu espírito, para o bem ou para o mal.

Pense nisso!

Em oração por todos vocês! Orem também por nós!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Toda brincadeira termina em choro

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que conquistando a dignidade por meio da sua fidelidade ao Cristo!

Hoje vamos falar um pouco aqui sobre o choro que se segue à alegria.

Tenho uma filha de 3 anos, a Rafaela. E existe um fenômeno com ela que é muito interessante: com toda a avidez ela deseja brincar com o papai, quando ele não está trabalhando. Então nesses momentos ela leva ele para uma área de brincadeiras e pula, sobe, escala, esconde, conversa, ri, etc., etc. Até não aguentar mais! A alegria de brincar com o papai é imensa e visível em todos os aspectos. Todavia, após o período prolongado de brincadeiras e desafios, sobrevém um tempo quase inevitável em que ela começa a chorar, como diz a mamãe Cibele, “chorar de cansaço”.

O que esse fenômeno infantil nos ensina sobre a vida? O que a sabedoria cristã nos ensina nesse contexto?

Tenho aprendido que toda a brincadeira termina em choro.

Temos alvos e sonhos a realizar, nosso coração está vivo e pulsa na direção da realização de coisas favoritas e acontecimentos especiais. Mas quando estamos na oportunidade perfeita de realizá-los de fato, então nos deparamos com o fato de que todas as coisas que podemos fazer ou idealizar são somente coisas comuns, e que ao final de um dia especial, uma festa ou uma coroação, estaremos de volta às realidades normais da vida, as responsabilidades, as frustrações cotidianas e os pesos e preocupações de cada dia.

Se é preciso aprender que se o choro dura uma noite, então a alegria vem pela manhã, também é preciso saber que toda brincadeira termina em choro.

As expectativas fantásticas de transformações radicais e estados de contentamento permanentes devem ser superadas na descoberta de que os dias especiais não substituem nem anulam os dias rotineiros e trabalhosos da nossa vida.

As realidades emocionais difíceis e indigestas terão que ser conquistadas, pois nenhuma circunstância ou substância é capaz de nos entorpecer de alegria eternamente.

A verdadeira alegria no coração do homem somente nasce da disposição persistente de enfrentar e conviver sabiamente com as memórias traumáticas, com os processos orgânicos da tristeza e com a necessidade reiterada de tomar novo fôlego espiritual por meio de orações e súplicas significativas ao longo de cada dia.

Uma hora teremos que ouvir toda a história que está guardada dentro de nós, uma hora teremos que nos dar conta do luto que carregamos pela morte de coisas/pessoas que amávamos, uma hora teremos que perdoar no SENHOR Deus aqueles que nos perseguem.

A luz do dia somente ilumina a alma daqueles que são corajosos até o ponto da descoberta do amor.

Folia termina em cinzas, porque alegria artificial se compra com irresponsabilidades e comprometimento da integridade que vivifica.

Riso e choro, euforia e lamentação.

Toda brincadeira termina em choro e tudo isso foi criado pelo SENHOR Deus para o nosso bem.

Fira-me o SENHOR Deus, cure-me o seu justo.

Você tem grande valor!

Boa semana a todos!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo, e o editor do blog Curados por Deus.