Disciplina na família

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que a cada dia mais estejam convivendo em um ambiente respeitoso e acolhedor, fazendo da sua casa um lar!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a disciplina na família.

O que é um casamento?

Casamento é uma aliança entre duas pessoas, um pacto de amor e fidelidade, firmada sobre regras de compromisso. É por meio de um discurso que consentimos e estabelecemos os parâmetros que a fazem valer e continuar.

Assim, defendo que o casamento é um prêmio delicado, que precisa de muito investimento e honra para seguir eternamente.

Qualquer casamento que não possa terminar é patológico, gera doenças. Mas aqui não quero falar como psicólogo, mas apenas como teólogo amador.

O casamento é um tipo de relacionamento que precisa da concordância das duas partes, masculina e feminina, para existir na presença do SENHOR Deus.

Estou falando sobre essas coisas de modo introdutório, porque desejo ensinar sobre a importância da disciplina no lar.

O marido precisa disciplinar a esposa e os filhos; a esposa precisa disciplinar o marido e os filhos; e os filhos precisam disciplinar os irmãos e os pais.

Essa ideia pode parecer obtusa, mas acredito que dentro de nós o SENHOR Deus coloca parâmetros de justiça que concedem a sensibilidade necessária para a mútua correção e ensino nos caminhos eternos.

O homem não pode permitir que o relacionamento continue sem que ele seja respeitado; a mulher não pode permitir que o relacionamento continue sem que seja amada acima de todas as coisas; o filho não pode permitir que o relacionamento continue sem que seja ensinado pela melhor atenção de seus pais.

Temos que perceber que a vida familiar acontece dentro de relacionamentos em que cada um precisa assumir e se responsabilizar por sua parte.

É por essa razão que o homem pede respeito, antes de tudo; a mulher, fidelidade, amor e prioridade; a criança, atenção e engajamento na sua educação.

Preciso dizer que a disciplina no lar é FUNDAMENTAL.

Aqueles que são negligentes em lutar pela parte da aliança que os toca acabam mal, muito mal.

Há as doenças psicológicas, delas falamos em um outro momento, mas principalmente a morte espiritual.

Por exemplo, um homem definha se as pessoas da sua casa são desrespeitosas na sua presença; a mulher se desanima da vida quando há rumores de infidelidade conjugal; e as crianças se tornam verdadeiros estranhos quando seus pais se recusam a participar solidariamente das suas aventuras.

Defendo que se volte a atenção para si mesmos e para o SENHOR Deus, para ouvir, para sentir, para se reconectar. Depois disso, deve-se agir em nome do acerto mais profundo do que as aparências da cordialidade exterior e rotineira.

Se o seu marido não fala com você em primeiro lugar, então você precisa discipliná-lo; se o seu pai não participa da sua vida, então você precisa discipliná-lo; se a sua esposa não o trata como o senhor da sua casa, então você precisa discipliná-la.

Saiba dessas coisas em seu interior e então peça ao Deus Altíssimo, o SENHOR, pelo caminho perfeito para disciplinar a sua família.

Disciplinar é diferente de agir irracional, violenta ou brutalmente, mas é igual a exigir com mansidão e fé que os termos da aliança que fundaram e sustentam a sua família sejam observados.

Se o seu relacionamento não é uma aliança no SENHOR Deus, então precisa terminá-lo e começar do princípio, só que direito. Por outro lado, se houve verdade e transparência para com o Soberano no momento do estabelecimento da sua relação com o outro, então é necessário investir em conhecer e aprofundar os méritos dessa relação.

Disciplina na família é levar o SENHOR Deus à sério no coração.

Ou cada um cumpre o seu papel ou é melhor se afastar da toxidade do convívio desgraçado.

Não tenha medo de por à prova os seus relacionamentos importantes, pois eles moldarão o seu espírito, para o bem ou para o mal.

Pense nisso!

Em oração por todos vocês! Orem também por nós!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Quando entrarem numa casa

“Depois disso o Senhor, [Jesus de Nazaré, o Cristo do SENHOR], designou outros setenta e dois e os enviou dois a dois, adiante dele, a todas as cidades e lugares para onde ele estava prestes a ir. E lhes disse:

(…)

Quando entrarem numa casa, digam primeiro: paz a esta casa. Se houver ali um homem de paz, a paz de vocês repousará sobre ele; se não, ela voltará para vocês.

Fiquem naquela casa, e comam e bebam o que lhes derem, pois o trabalhador merece o seu salário.

Não fiquem mudando de casa em casa” (Lucas 10.1-2a, 5-7. NVI).

Boa tarde a todos!

Como uma pessoa deve se mover na vida? Qual o caminho do SENHOR para um homem de bem?

Os filhos do Espírito do SENHOR se movem como agentes da paz e trilham o caminho que leva a esse tipo de restauração.

Se você é realmente de Deus, então não ousa entrar na casa de ninguém a não ser que seja para lhe transmitir a paz.

Se você não pretende promover a paz de uma casa, então também não deve entrar ali, porque os ladrões e os desrespeitadores não têm lugar no Reino de Deus e serão punidos por sua irreverência.

A casa das pessoas é para ser um santuário, um lugar de santidade e vida.

Trate a casa dos outros dessa maneira e se ali houver um homem de paz então a casa dele se tornará um lugar ainda mais santo e propício à vida eterna. Mas se, todavia, ali não houver um homem assim, então a sua justiça lhe retornará como um sopro de inspiração para que você mesmo e a sua casa se tornem um lugar ainda mais respeitável e maravilhoso de se habitar.

As casas existem ao redor de um culto interior. Há casas de desonra e outras de honra; casas consagradas à imundícia e outras à nobreza e à beleza da glória do SENHOR.

Nunca sabemos ao certo o que são as casas das pessoas até que nos aproximemos como agentes da paz.

Agora é necessário abrirmos os nossos olhos para o discernimento mais fundamental: trabalho é um coração batendo comprometido com o SENHOR.

Quando você presta culto desde o secreto do coração até o mais público dos seus atos ao SENHOR, então a sua presença de paz é dádiva e feito, é trabalho e vocação.

O mundo inteiro tem sede dos anjos, dos mensageiros da paz.

Se você é um anjo do SENHOR, então quando entrar em uma casa e for recompensado com alimento e graça, não os rejeite. Pois o seu arrependimento é trabalho e trabalho merece salário.

“Digno é o obreiro do seu salário”.

Se o amor do SENHOR habita ricamente em seu coração, então você é como uma tocha de luz e calor: merece salário por todo esse trabalho.

O salário é a honra da santidade. Quem é santo recebe tesouros e riquezas por isso no Reino de Deus.

Se você está fazendo o que é o Certo, então jamais passará fome, pois a mão de muitos anjos do SENHOR sempre o servirão.

De paz em paz. Da paz interior à paz exterior. Da paz com o SENHOR para a paz com os filhos do SENHOR.

Esse é o Reino de Deus, que era, é e há de ser eternamente.

Agora, se você for realmente bem recebido em uma casa, deve permanecer ali de todo o seu coração.

A infidelidade não cai bem ao cristão, pois o verdadeiro Casamento é sempre um milagre.

Ninguém tem o acolhimento verdadeiro em todas as casas, em todos os postos de trabalho, em todos os lugares do mundo. Cada vez que uma porta verdadeiramente se abre para você por causa do seu pacto com o SENHOR, então isso é um evento único, santo e oportuno para o bem.

Por isso, se você e a sua casa têm boa acolhida em alguma outra casa, em algum posto de trabalho ou em algum lugar do mundo, fique ali e não fique mudando de casa em casa. Pois apenas o SENHOR muda uma família de lugar e apenas o SENHOR conhece o que é o melhor para cada um de nós.

Confie no SENHOR. Deixe que ele lhe mostre o lugar onde ficar, trabalhar e crescer nesse momento especial da sua vida: haverá um encontro de paz ali onde o SENHOR lhe abrir uma porta verdadeira para o seu ministério familiar, profissional e missionário.

Deus ama muito, muito, muito você!

Você não está sozinho! Não desista do SENHOR por migalhas de companheirismo!

Faça o que é o Certo até a completa retidão!

A paz do SENHOR encherá os seus caminhos quando você à semelhança de Jesus, o Cristo do SENHOR, puder de coração dizer: “prefiro morrer de fome do que desonrar o Eterno Deus, o SENHOR”.

O SENHOR é bom e quando a sua misericórdia é derramada ela produz um efeito que dura para sempre!

Confie no SENHOR! Ele confia em você.

Abraços a todos.

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.