Sobre o divórcio

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que firmando os seus passos sobre o firme e inabalável fundamento da Palavra de Deus! O que o SENHOR Deus diz, nisso podemos confiar!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o divórcio.

Está escrito “o que o SENHOR Deus uniu homem nenhum separe”; também “deixará o homem o seu pai e a sua mãe, unir-se-á à sua mulher e os dois serão uma só carne”.

O que o SENHOR Deus une, jamais deverá ser separado. Seria um pecado mortal.

Mas nem tudo o que está unido em certidão de casamento e cerimônia religiosa foi de fato unido pelo SENHOR Deus e, portanto, poderá e deverá ser separado, se procura-se pela paz do SENHOR.

O SENHOR Deus somente tem parte com aquilo que é feito segundo a sua Lei ou Espírito Santo ou Santidade. Ele não abençoa nem valida as coisas que são feitas por outros caminhos; elas terão que ser destruídas/desfeitas antes do fim.

Casamento feito pelo dedo do SENHOR Deus é assim: “honra teu pai e tua mãe”, “não terás outros deuses além de mim”, “não adulterarás”, “não furtarás”, “não darás falso testemunho ao seu próximo”, “guardarás o sábado para santificá-lo”, etc.

Qualquer tipo de união feita em espírito de transgressão terá que ser terminada, se os parceiros quiserem viver.

“O SENHOR Deus resgatou um povo do Egito, mas posteriormente destruiu todos aqueles que não creram”.

Qualquer relacionamento que não possa ser terminado é uma fonte de doenças, descaminhos e desgraças.

É por isso que um casamento saudável começa com promessas de ambos os lados, que delimitam parâmetros tanto para a união quanto a exclusão da aliança eterna.

Se no seu casamento a única sexualidade que conseguem são perversidades e não há prazer na intimidade natural, então a aliança entre vocês não foi firmada juntamente com o SENHOR Deus e no fim, se quiserem ser curados, terá que ser terminada.

Se no seu casamento a estabilidade financeira depende de roubos e/ou subornos, então a aliança de vocês não foi firmada juntamente com o SENHOR Deus e no fim, se quiserem ser curados, terão que terminá-la.

Seu casamento é um tributo de honra ao SENHOR Deus ou um buraco de imundícias e conluio?

Seu relacionamento com a família do seu cônjuge é de amorosidade, respeito e apreço ou de rejeição profunda e desdém?

A pessoa do nosso cônjuge pode ser certa ou errada para nós e tudo isso vai ser revelado pelo tipo de relacionamento que conseguimos ter com ele: se um Espírito Santo, então bom para o casamento; se um espírito imundo, então necessariamente para o divórcio.

Casamento é um assunto sério na presença do SENHOR Deus. Por isso que falsos casamentos ou malditos custam um preço de morte.

Se você fez/está errado, arrependa-se, reconheça o seu erro, desfaça o mau relacionamento e peça ao Senhor Jesus que o substitua na penalidade pela bagunça que você aprontou. O SENHOR Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e purificar das injustiças, quando confessamos sinceramente.

Por outro lado, se você casou-se em pacto sagrado, você transformou-se em uma só carne com o seu cônjuge pelo dedo do SENHOR Deus. Nesse caso, lembre-se que também está escrito “eu odeio o divórcio, diz o SENHOR”.

Divórcio por querer seguir a ganância, adultério, desprezo do SENHOR Deus, infidelidade, covardia… Todos esses serão condenados e castigados com a maior severidade.

A aliança abençoada pelo SENHOR Deus será para sempre um manancial de vida eterna.

Avalie a sua condição. Se não consegue desejar filhos, nem intimidade natural com seu cônjuge, pense em sair o quanto antes desse relacionamento.

Promessa do SENHOR Deus: quando você paga o preço doloroso de fazer o que é o certo, então o SENHOR Deus pode lhe elevar a patamares sublimes, realizando absolutamente os desejos mais preciosos do seu coração, para o bem e alegria de todos os outros, sua família, sua pátria, sua nação.

Eu acredito em vocês! Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, homem de dores.

PS: acabei de publicar o pdf do meu livro Minha Doce Saúde Mental, contando sobre minha luta com a esquizofrenia e vitória através da medicina e espiritualidade cristã. Um link permanente ficará disponível na página Sobre deste blog.

Minha segurança, onde ela está?

“Depois disso, o Senhor [Jesus, o Cristo do SENHOR] designou outros setenta e dois e os enviou dois a dois, adiante dele, a todas as cidades e lugares para onde ele estava prestes a ir. E disse-lhes:

(…)

Não levem bolsa, nem saco de viagem, nem sandálias; e não saúdem ninguém pelo caminho” (Lucas 10.1-2a, 4. NVI).

Boa tarde a todos!

Quantos aqui já se sentiram absolutamente desamparados?

Há momentos quando o silêncio e insensibilidade dos homens ao redor são tão grandes que o coração se entristece até o negrume do abismo.

Após muitas coisas, chegou um tempo em que o Jesus de Nazaré já havia tocado a vida de muitos por meio de um espírito perfeito e bom. E quando alguém se deixa tocar por um espírito de santidade assim, renasce como um tipo de filho que jamais trairá seus pais.

Aqui Jesus envia 72 desses homens discípulos aos pares como representantes do seu espírito de santidade e veículos da cura que se segue ao retorno do homem ao SENHOR.

Bolsas, sacos de viagem e sandálias extras são os modos como garantimos nossa própria segurança e conforto quando vamos para longe de nossa casa.

Saudações pelo caminho são um jeito de granjearmos suporte e apoio de outras pessoas, de novo, para a nossa segurança e conforto quando vamos para longe de nossa casa.

Mas Jesus não quer que os seus filhos confiem nesse tipo de provisão.

Quando você se arrepende de todo o seu pecado até o ponto perfeito, que alcança a cura de toda a sua enfermidade, então por meio dessa fé aprende que “a obra de Deus, feita segundo a vontade de Deus, nunca terá falta dos recursos de Deus” (Pastor Ed René Kivitz, Pastor da Igreja Batista de Água Branca em São Paulo).

Os principados, as potestades do mal, os dominadores dos homens insistem:

“Não confie em ninguém! Seja o senhor da sua própria sorte! Cofres, bolsos, cartões, cheques, bens, terras… Tudo deve ser feito para se evitar o pior!”

“Agrade a todos! A bajulação inteligente garante favores e segurança! De todas as mesas sempre comer! De todas as rodas sempre participar! Quem tem uma multidão de amigos, jamais ficará só!”

Mas a verdade é que não é nada assim no Reino de Deus.

Quem desperta para fora do pecado aprende que há um Soberano, o SENHOR, e nada escapa à sua Lei.

Os bolsos do mundo obedecem ao SENHOR… As terras do mundo são do SENHOR… Os corações humanos são do SENHOR.

Não há mal que possa durar mais do que um breve instante… Não há roubo que possa gerar um centavo de riqueza… Não há indisposição ou pecado que libere uma pessoa do Espírito da Santidade do SENHOR.

Há um dia, quando o homem se volta autenticamente para o SENHOR, quando a trave dos seus olhos é retirada pelo toque do Anjo do SENHOR… E ele enxerga, finalmente, que sua vida está segura nas mãos do SENHOR.

Importa crer. E isso quer dizer apenas uma coisa: crer é obedecer até o ponto de morrer.

Quem não faz esse tipo de prova de confiança com o SENHOR jamais será salvo de coisa alguma: seja da enfermidade, seja do infortúnio, seja da escravidão, seja da pobreza, seja da solidão… Que dirá da morte.

Mudar de Senhor, mudar de Deus… Essa é a única chave que liga a Vida dentro e fora de cada um de nós.

Por que a Bíblia Sagrada aponta o SENHOR como o único Deus Verdadeiro? Porque nenhum outro Espírito ou Lei realmente coloca o homem em acerto, paz, alegria, amor e Vida.

“Eu já vi um homem ressuscitar”… Deixe o seu coração sussurrar isso para dentro de você mesmo.

Se você fizer o que é o Certo com “C” maiúsculo, eu prometo a você: o SENHOR o ressuscitará depois que você passar pela prova de morte que lhe cabe!

Levante a cabeça! Creia na Palavra da Verdade! E entre pela Porta Estreita que conduz à Vida Eterna!

Jesus de Nazaré, o Cristo do SENHOR, é o nosso Rei e o eterno Primogênito dentre os Filhos de Deus!

O que o SENHOR fez com ele, fará comigo e com você também se o imitarmos: confiar pra valer no SENHOR até o ponto de renunciar ao menor dos pecados para obedecer à sua Lei, mesmo a preço capital.

Mesmo sem as suas reservas pessoais, mesmo sem a simpatia da maioria… Você chegará bem ao seu destino e será feliz e próspero por toda a sua vida e em tudo o que fizer. Basta confiar no SENHOR!

Vocês estão aqui? Eu também estou aqui.

Deus abençoe todo acerto de Justiça dos homens de bem desde agora e para sempre! (Isso é: o Amor) Em nome de Jesus, o Cristo do SENHOR, amém.

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Sobre relacionamentos

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre relacionamentos.

Relacionamentos são a fonte da vida e o único modo de se permanecer vivos, florescer e ser feliz.

Relacionamentos são a faca que nos fere a alma, a pedra que nos faz tropeçar, a primeira e a última camada do poder maligno que nos aprisiona em caminhos de morte e de infidelidade para com Deus.

Relacionamentos é um assunto muito delicado.

Quando somos crianças e adolescentes, e até o final da juventude conhecemos basicamente o que sentimos e experimentamos. E essas são essencialmente as marcas que recebemos do espírito de outros.

Em relacionamentos somos gerados e criados, nossa vida, ou melhor, a vida que aparece em nós no começo é um resultado direto da influência que outras pessoas têm sobre nós. E isso é ser jovem.

Mas a partir de um determinado ponto, passamos a identificar melhor os espíritos dos relacionamentos e começamos a ter que fazer escolhas cada vez mais difíceis e significativas.

Se no começo temos alguma liberdade de escolha apenas dentro das fronteiras da espiritualidade de nossos pais ou cuidadores primários, com a vida adulta devemos passar a um amadurecimento que porá à prova até mesmo o espírito dos nossos pais.

A verdade é que toda espiritualidade se constrói apoiada em relacionamentos.

Agora, o que acontece ao casal que descobre falhas graves na espiritualidade de seus pais? O que acontece ao adulto que descobre que o ar em que respiram os seus relacionamentos de infância é tóxico ou escravizador? O que acontece à senhora idosa que percebe que sua vida foi desperdiçada servindo solidariamente a espíritos de perversidade?

Para se por novamente de pé, é necessário amputar o membro necrosado, aceitar o dano da perda e receber a cura que vem de Deus.

Mudar de mente é mudar de mesa; mudar de espírito é mudar nos relacionamentos.

Vivemos em um tempo que diz: “quanto mais gente melhor”.

Mas a sabedoria de Deus diz que “quem tem muitos amigos pode chegar à ruína” (Pv 18.24a. NVI).

Quando o tempo investido juntos é muito grande, a marca na alma fica mais profunda. Por isso que “há amigo mais apegado que um irmão” (Pv 18.24b. NVI).

Contudo, o certo é que se construa o apego apenas por aquela família que nascer ao redor da sua autêntica luta pela justiça e marcha pelo e para os caminhos do bem.

Se você está muito apegado em relacionamentos ímpios, se quiser viver, vai ter que sofrer na carne a dor de terminá-los.

Terminar um relacionamento de grande apego é como morrer. E não há como suavizar esse drama.

Mas a morte para um relacionamento ruim é o único caminho e a vida para um relacionamento novo e bom, que virá para aquele(a) que crê.

Quem morrer a morte de Jesus Cristo, qual seja, se dispor a perder todas as coisas, honras e benefícios, e a ficar totalmente sozinho se isso for necessário para não pecar mais contra Deus e fazer o que é certo aos Seus olhos, vai ser ressuscitado da mesma forma como ele foi. E ressurreição quer dizer restituição plena e ainda um benefício muito superior à soma de todos os benefícios perdidos anteriormente nas renúncias do arrependimento e da fé.

Se você só tem relacionamentos ruins, então primeiro vai ter que pagar o preço da solidão e sofrer o dano das rupturas para que depois Deus possa lhe trazer novos e bons relacionamentos, e, com eles, a vida eterna.

Às vezes o novo relacionamento acontece até mesmo com pessoas das antigas, mas isso é assim apenas quando elas também se dispõe a fazer algo novo e a renunciar aos ídolos velhos. Mas maravilhosamente a novidade de Deus muda os nossos olhos e abre o nosso coração de uma maneira verdadeira, e passamos a ver valor onde não víamos, a conhecer pessoas que não existiam para nós e a encontrar afetos calorosos onde não havia nada.

O que acontece ao homem quando ele é socorrido por Deus?

Ele encontra o amor, a fraternidade, a prosperidade e a paz pela qual sempre ansiou.

Não tem jeito fácil de se terminar um relacionamento ruim de dias, que dirá um de anos. Por isso, se você precisa fazer isso agora, apenas seja forte e corajoso(a), creia em Deus e confie na santidade: a retidão jamais terá fim. Além disso, existe uma força de ressurreição que é capaz de fazer um relacionamento ruim que você rompeu hoje para fazer o que é o certo diante de Deus renascer como um relacionamento bom no futuro se você permanecer fiel a Deus e a outra pessoa se voltar para Ele também.

A recompensa da justiça é uma vida plena e abundante florescendo através de alianças e laços afetivos que permanecerão para sempre!

Os nomes disso são: Igreja com “i” maiúsculo, família verdadeira e amigos de Deus.

Eu acredito em Deus! Se Ele me ampara, também apara você! O Seu amor dura para sempre e a sua fidelidade de geração em geração!

Se você pedir, Ele lhe ajudará a ser perfeito(a). Tão somente tenha fé e o amor de Deus encherá a sua vida.

Depois da guerra justa, haverá paz, promessa de Deus.

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Ao redor da mesa.

Estava falando com minha esposa sobre um tema para o próximo texto e ela me sugeriu que falasse um pouco sobre a espiritualidade da mesa.

Quero lhes falar um pouco sobre isso hoje aqui.

Quando se come junto, muita coisa acontece.

A mesa é um ambiente de troca afetiva.

Aprendemos a comer através de uma experiência afetiva.

A amamentação é a experiência original desenhada para nos ensinar que “é seguro, você pode se abrir para receber algo do mundo, isso vai lhe fazer bem”.

É o afeto, a confiança e a aceitação que tornam possível a alimentação sadia.

Alimentar-se, alimentar o outro e alimentar-se com o outro são todos realidades afetivas.

Também é ao redor da mesa que tomamos parte nas realidades espirituais.

“Quem participa da minha mesa participa do espírito da minha casa”.

Há uma advertência muito severa dizendo que não se deve comer do alimento sacrificado aos ídolos. Isso quer dizer que não se deve comer no ambiente em que as pessoas estão praticando o pecado, pois comer ali onde outros praticam o mal é tornar-se participante desse mal.

Quando comemos algo material entra dentro de nós, mas também algo imaterial.

Os dois sacramentos essenciais na tradição cristã protestante são o Batismo e a Santa Ceia.

Por meio do Batismo publicizamos o arrependimento e a fé: “os caminhos de Deus são justos, bons e eternos, nós andaremos neles e, por causa disso, Deus nos socorrerá e salvará”; por meio da Santa Ceia entramos na comunhão da Igreja e literalmente bebemos do sangue de Jesus Cristo, o que quer dizer que consentimos que o castigo que nos é devido por causa dos nossos pecados cometidos anteriormente recaia sobre ele em nosso lugar.

Quem não for Batizado de corpo, alma e espírito, e não participar da Santa Ceia do Senhor Jesus Cristo, não entrará no Reino de Deus.

Olhe muito bem para o que você come, onde você come, ao redor de quê você come e com quem você come.

Há pessoas com quem não se deve nem mesmo comer junto: com hipócritas não se deve sentar à mesa.

Pessoas que se dizem da fé, mas que andam em pecado, com esses não se deve comer.

Existe uma grande diferença entre o ignorante e o perverso. A pessoa que anda com Deus aprenderá a diferença entre eles, para ter paciência com o primeiro e manter distância do último. Pois quem sempre esteve perdido ele não tem como estar correto, já o perverso conheceu a verdade, mas amou praticar o mal.

Uma das intimidades mais bonita entre as pessoas pode acontecer num encontro assim, ao redor da mesa.

Deus nos faça desfrutar desse melhor!

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Painel sobre a recuperação do alcoolismo, vídeo da Biola University

Aqui temos um painel interessantíssimo com Psicólogos e uma pessoa em recuperação de alcoolismo conversando sobre o alcoolismo, Psicologia, espiritualidade e a recuperação do alcoolismo.

O vídeo (em Inglês e sem legendas) foi produzido pela Biola University em parceria com a Rosemead School of Psychology.

Addiction Awareness Week: Alcohol Adiction.

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.