Amor Lapidado, Princess Cut

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que mergulhando fundo na experiência de habitarem na presença uns dos outros, pois a oportunidade de ser e estar com a família também é temporária e maravilhosamente cheia de propósitos eternos!

Hoje temos aqui mais uma sugestão de filme para a edificação da sua família, o Amor Lapidado (Princess Cut), dirigido por Paul Munger, contando com o elenco de Ashley Bratcher e Rusty Martin, de 2015.

O filme trata da difícil tarefa de encontrarmos nosso cônjuge e realizarmos nosso casamento com ele pelos olhos de uma jovem moça, seus pais e irmãos.

Seguir ao SENHOR Deus é muito mais do que termos hábitos religiosos. O importante é estabelecermos uma relação de confiança e sincera submissão com o Espírito Santo do SENHOR, a Lei de Deus, em todas as circunstâncias e para todos os propósitos.

Nosso corpo, vida íntima e sexualidade somente trazem prazer verdadeiro quando procedem da “alegria do SENHOR”. Os caminhos do Altíssimo e somente eles realizam os desejos do nosso coração, pois nenhuma outra alternativa permanecerá para sempre.

Sem o SENHOR Deus caminhamos de decepção em decepção, violência em violência, infelicidade em infelicidade, frustração em frustração.

A dor de fazer hoje o que é o certo, desligando-nos de todos os relacionamentos desonrosos, será totalmente esquecida no momento em que formos coroados com a “alegria do SENHOR” em um casamento abençoado, casto e santo.

Toda a nossa família participa da construção desse momento misterioso e mágico, que transforma duas pessoas em uma só por meio do casamento abençoado e verdadeiro.

Assistam esse filme mil vezes! Papai, mamãe, irmãos! Adultos e jovens solteiros!

Eu acredito em vocês!

Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, pai de família.

Homenagem a Marion Rosen

Boa noite a todos!

Hoje temos aqui um vídeo com lições de Marion Rosen, Fisioterapeuta, Criadora do The Rosen Method Bodywork.

Não sou capaz de expressar em palavras o tamanho da minha admiração e reverência por essa mulher tão especial.

O trabalho que ela desenvolveu com o uso de Toques Terapêuticos é fenomenal e sua contribuição para o estudo dos efeitos do toque humano são incomparáveis para mim.

Sinto muitíssimo a perda da sua vida, ela faleceu em 2012. Mas espero com todas as minhas forças fazer viver e valer a sua contribuição para a humanidade através do meu próprio trabalho como Psicólogo Corporal.

Se você quer aprender sobre Psicologia Corporal, não pode deixar de conhecer o legado de Marion Rosen.

Esse vídeo é um tesouro!

Aproveitem!

Atenciosamente,

Dr. Rafael Caldeira de Faria, Psicólogo Corporal, CRP 06/89471, e o Fundador do Projeto Terapêutico Toque Divino.

“How to Love a Loved One with Mental Illness”, texto de Heather Palacios.

Compartilho com vocês um texto muito interessante de Heather Palacios, uma paciente psiquiátrica bipolar, contando as respostas de seu marido Raul Palacios à pergunta: como amar um amado com doença mental?

O texto está em Inglês e foi publicado no site Christianity Today em 29 de Janeiro de 2015.

Thursday is for Thinkers: How to Love a Loved One with Mental Illness, text by Heather Palacios.

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

“Deem-lhes vocês algo para comer”.

“[Jesus] tomou [os doze apóstolos] consigo e retiraram-se para uma cidade chamada Betesaida; mas as multidões ficaram sabendo e o seguiram. Ele as acolheu e falava-lhes acerca do Reino de Deus, e curava os que precisavam de cura.

Ao fim da tarde os Doze aproximaram-se dele e disseram: ‘manda embora a multidão para que eles possam ir aos campos vizinhos e aos povoados, e encontrem comida e pousada, porque aqui estamos em lugar deserto’.

Ele, porém, respondeu: ‘deem-lhes vocês algo para comer’.

Eles disseram: ‘temos apenas cinco pães e dois peixes, a menos que compremos alimento para toda esta multidão’. E estavam ali cerca de cinco mil homens.

Mas ele disse aos seus discípulos: ‘façam-nos sentar-se em grupos de cinquenta’. Os discípulos assim fizeram e todos se assentaram.

Tomando os cinco pães e os dois peixes, e olhando para o céu, deu graças e os partiu. Em seguida, entregou-os aos discípulos para que os servissem ao povo.

Todos comeram e ficaram satisfeitos, e os discípulos recolheram doze cestos cheios de pedaços que sobraram” (Lucas 9. 10b-17. NVI).

É impressionante o modo como o ministério de Jesus Cristo foi consistente. Foi apenas com 30 anos de idade que teve início seu ministério público e ao seu trabalho da parte de Deus ele se manteve fiel.

Nesse ponto do desenvolvimento de seu ministério, Jesus Cristo era seguido por multidões e, aqui, ele as acolheu e falou acerca do Reino de Deus, além de curar aqueles que precisavam de cura.

Como é cara a Jesus Cristo a palavra sobre o Reino de Deus. Nenhum outro tema esteve em sua boca mais do que o Reino de Deus.

Reino de Deus é o governo de Deus, é a possibilidade do homem reconciliar-se com Deus para submeter-se a Ele em espírito e em verdade, recebendo dentro de si o Espírito do próprio Deus e uma vida divina que é indestrutível e jamais terá fim. Além disso, participar do Reino de Deus é o mesmo que gozar dos benefícios e recursos do favor e do poder de Deus, o todo-poderoso criador dos Céus e da Terra.

Esse é o anúncio mais ousado de todos os tempos.

É essa realidade que Jesus Cristo deseja que seus discípulos vejam, provem e recebam dentro de si mesmos.

Primeiro, Jesus Cristo mostra aos discípulos como Deus faz no Reino de Deus: ele cura aqueles que precisam de cura.

Depois, ele pede aos discípulos que vençam a sua própria pobreza e alimentem a multidão no poder do Reino de Deus.

Os discípulos precisam compreender qual a altura, largura, profundidade e comprimento da realidade suprema, o Reino de Deus. E Jesus Cristo mostra para eles do que esse Reino é feito.

Jesus Cristo mandou que seus discípulos assentem a multidão em grupos de cinquenta. Eles obedeceram. Então, tomando os cinco pães e os dois peixes, e olhando para o céu, deu graças e os partiu. Em seguida, entregou-os aos discípulos para que os servissem ao povo.

Todos comeram e ficaram satisfeitos, e os discípulos recolheram doze cestos cheios de pedaços que sobraram.

“Viram, discípulos?”, poderia ter dito Jesus Cristo no final daquele momento. “É assim que funciona no Reino de Deus”.

Tudo o que tenho nesse momento é o temor do SENHOR no meu coração.

Nossos olhos enxergam a realidade até certo ponto, mas Jesus Cristo é a Luz que brilhará eternamente, a Luz que faz ver.

Eu também quero passar pelo batismo de arrependimento e fé que conduz o homem para dentro do Reino de Deus.

Deus tenha misericórdia de nós, aponte-nos o Seu Caminho e nos dê o coração, a fé e as forças para trilhá-lo.

A Deus toda a glória! E que Deus abençoe os verdadeiros cristãos, os verdadeiramente nascidos de Deus!

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.