Sobre o divórcio

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que firmando os seus passos sobre o firme e inabalável fundamento da Palavra de Deus! O que o SENHOR Deus diz, nisso podemos confiar!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o divórcio.

Está escrito “o que o SENHOR Deus uniu homem nenhum separe”; também “deixará o homem o seu pai e a sua mãe, unir-se-á à sua mulher e os dois serão uma só carne”.

O que o SENHOR Deus une, jamais deverá ser separado. Seria um pecado mortal.

Mas nem tudo o que está unido em certidão de casamento e cerimônia religiosa foi de fato unido pelo SENHOR Deus e, portanto, poderá e deverá ser separado, se procura-se pela paz do SENHOR.

O SENHOR Deus somente tem parte com aquilo que é feito segundo a sua Lei ou Espírito Santo ou Santidade. Ele não abençoa nem valida as coisas que são feitas por outros caminhos; elas terão que ser destruídas/desfeitas antes do fim.

Casamento feito pelo dedo do SENHOR Deus é assim: “honra teu pai e tua mãe”, “não terás outros deuses além de mim”, “não adulterarás”, “não furtarás”, “não darás falso testemunho ao seu próximo”, “guardarás o sábado para santificá-lo”, etc.

Qualquer tipo de união feita em espírito de transgressão terá que ser terminada, se os parceiros quiserem viver.

“O SENHOR Deus resgatou um povo do Egito, mas posteriormente destruiu todos aqueles que não creram”.

Qualquer relacionamento que não possa ser terminado é uma fonte de doenças, descaminhos e desgraças.

É por isso que um casamento saudável começa com promessas de ambos os lados, que delimitam parâmetros tanto para a união quanto a exclusão da aliança eterna.

Se no seu casamento a única sexualidade que conseguem são perversidades e não há prazer na intimidade natural, então a aliança entre vocês não foi firmada juntamente com o SENHOR Deus e no fim, se quiserem ser curados, terá que ser terminada.

Se no seu casamento a estabilidade financeira depende de roubos e/ou subornos, então a aliança de vocês não foi firmada juntamente com o SENHOR Deus e no fim, se quiserem ser curados, terão que terminá-la.

Seu casamento é um tributo de honra ao SENHOR Deus ou um buraco de imundícias e conluio?

Seu relacionamento com a família do seu cônjuge é de amorosidade, respeito e apreço ou de rejeição profunda e desdém?

A pessoa do nosso cônjuge pode ser certa ou errada para nós e tudo isso vai ser revelado pelo tipo de relacionamento que conseguimos ter com ele: se um Espírito Santo, então bom para o casamento; se um espírito imundo, então necessariamente para o divórcio.

Casamento é um assunto sério na presença do SENHOR Deus. Por isso que falsos casamentos ou malditos custam um preço de morte.

Se você fez/está errado, arrependa-se, reconheça o seu erro, desfaça o mau relacionamento e peça ao Senhor Jesus que o substitua na penalidade pela bagunça que você aprontou. O SENHOR Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e purificar das injustiças, quando confessamos sinceramente.

Por outro lado, se você casou-se em pacto sagrado, você transformou-se em uma só carne com o seu cônjuge pelo dedo do SENHOR Deus. Nesse caso, lembre-se que também está escrito “eu odeio o divórcio, diz o SENHOR”.

Divórcio por querer seguir a ganância, adultério, desprezo do SENHOR Deus, infidelidade, covardia… Todos esses serão condenados e castigados com a maior severidade.

A aliança abençoada pelo SENHOR Deus será para sempre um manancial de vida eterna.

Avalie a sua condição. Se não consegue desejar filhos, nem intimidade natural com seu cônjuge, pense em sair o quanto antes desse relacionamento.

Promessa do SENHOR Deus: quando você paga o preço doloroso de fazer o que é o certo, então o SENHOR Deus pode lhe elevar a patamares sublimes, realizando absolutamente os desejos mais preciosos do seu coração, para o bem e alegria de todos os outros, sua família, sua pátria, sua nação.

Eu acredito em vocês! Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, homem de dores.

PS: acabei de publicar o pdf do meu livro Minha Doce Saúde Mental, contando sobre minha luta com a esquizofrenia e vitória através da medicina e espiritualidade cristã. Um link permanente ficará disponível na página Sobre deste blog.

Interpretando o sofrimento

Boa noite a todos!

Hoje temos um vídeo da Rosemead School of Pychology, com a Dra. Elizabeth Hall, Psicóloga, falando sobre três maneiras como podemos interpretar o sofrimento do ponto de vista psicológico cristão.

Em primeiro lugar, o sofrimento é um resultado natural da prática de pecados. “Desobediência dói”, diriam os meus pais, em suma.

Em segundo lugar, o sofrimento é um fogo que refina o caráter. Não existem grandes homens, sem grandes adversidades, adversários e provações para purificá-los e fortalecê-los. Apenas a oposição é capaz de nos exercitar a tenacidade e a perseverança nos caminhos da justiça e do bem.

Em terceiro lugar, o sofrimento é a única experiência capaz de alterar nossa visão de mundo. Da arrogância do inexperiente para a humildade do ancião, não existe um outro modo de ajustarmos as lentes do nosso discernimento, senão através dos dolorosos acontecimentos da vida. Não há ganho de perspectiva, nem sabedoria universal, sem a travessia do mar revolto ou do deserto solitário. Até que a nossa condição humana, vulnerabilidade, dependência do SENHOR Deus e interdependência, tenha nos alcançado em cheio, podemos permanecer alienados em pensamentos estreitos e irreais.

Como é difícil encontrar bons materiais de Psicólogos para essa seção “Aprendendo com outros”.

Aproveitem o excelente material!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

À espera de um milagre

Boa tarde a todos!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o que fazer enquanto se espera por um milagre da parte do SENHOR Deus.

“Vitória nas guerras” é uma expectativa adequada para aqueles que se submetem de coração ao SENHOR Deus, Todo-poderoso. Mas a “vitória que vence o mundo” é um homem novo, recriado, antes de uma conquista mundana qualquer.

Esperamos por uma cura para a nossa doença, uma libertação do nosso cativeiro, uma contenção dos nossos opressores, uma provisão financeira contra a nossa pobreza, um empoderamento significativo frente à nossa necessidade de trabalharmos e sermos úteis a outros em nossa geração… Todas essas coisas acontecerão no tempo perfeito segundo a palavra do Eterno Deus ou de seu Cristo, mas pode levar bastante tempo até que tudo esteja pronto para acontecer.

É muito difícil esperar pelo SENHOR, porque a esperança adiada faz doer o coração.

Entenda o seguinte: a vitória com que você sonha o derrotaria se o SENHOR Deus, em sua sabedoria suprema, não preparasse o seu coração para a justiça.

A falta tem um poder razoável de nos colocar em tentação, mas a abundância e o sucesso o tem 10 vezes mais. Quantas gerações incontáveis se perderam completamente porque tiveram riquezas abundantes antes de terem sido provadas e experimentadas pelo Espírito do SENHOR?

Salomão, filho de Davi, perdeu-se completamente porque teve tudo antes de ser alguém realmente consagrado ao SENHOR.

A tristeza de não ter, não ser, não poder… Deve ser minorada em nosso coração ante à promessa de que o SENHOR Deus nos tem na palma de sua mão e nos ama como amor total, real e eficaz.

Se você é santo para o SENHOR, então não há estagnação em sua vida, a obra do Pai Celestial está em ação sobre você e em você.

Nos momentos em que tudo parece mais parado e sem saída, temos o poder do Eterno mais ativo, derrubando os gigantes do orgulho, da covardia e da incredulidade aqui dentro de nós.

Você precisa se tornar uma pessoa melhor, quer dizer, você precisa se tornar a versão sem máscaras, mentiras ou falsidades de você mesmo: o Grande Eu Sou ou o Filho do Eu Sou o que Sou.

A natureza divina pode ser nossa e todo o poder da “escola divina” está voltado para ajudar-nos a alcançar a paz com o SENHOR.

Enquanto você espera, não chute cadeiras, cachorros ou coleguinhas.

Enquanto você espera, compartilhe com outros a sua dor e dê atenção verdadeira à deles.

Enquanto você espera, seja a melhor versão de si mesmo, como se fosse um rei, mesmo que esteja trabalhando esquecido com faxinas ou no cuidado de crianças.

Enquanto você espera, adore ao SENHOR Deus Todo-poderoso, elogie aquele que Vive para Sempre. Lembre-se de seus votos de fidelidade e os ponha em prática.

Enquanto você espera, aprenda a amar a si mesmo, o seu próximo, a sua nação e os estrangeiros. Honre a terra em que você habita, habitando-a com toda dignidade. Seja um fator de vida, cura e reconstrução onde quer que o SENHOR o esteja disciplinando.

Por fim, enquanto você espera, não se magoe com o SENHOR Deus. A dor infligida pelo Pai de Amor é medicinal. Para curar é preciso submeter-se ao tratamento amargo e atravessar seu deserto de dores, corajosamente. O SENHOR não machuca sem boa intenção e poder de cura. A tristeza justa aformoseia o rosto.

O que o SENHOR começou em sua vida, a obra de embelezamento radical e duradouro, logo, logo se completará! Tenha bom ânimo e fé nas suas promessas de vida eterna, “ao vencedor lhe darei um beijo de realização de sonhos no seu coração”.

Você não está esquecido nem ignorado, Ele vê você!

O SENHOR Deus abençoe a todos vocês e suas famílias!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Ame tocando

Bom dia a todos!

Hoje na seção Aprendendo com outros temos o vídeo com o sermão de 29/05/2016 pela manhã do Pastor Lisânias Moura, Pastor Sênior da Igreja Batista do Morumbi, sobre o Toque Divino e o amor.

Aqui ele considera alguns relatos bíblicos de momentos em que Jesus de Nazaré, o Cristo do SENHOR, toca pessoas e a partir disso ensina a sua comunidade princípios e discernimentos fundamentais sobre como é o toque de Deus, o amor cristão e a vida comunitária da igreja.

Pensando no Projeto Terapêutico Toque Divino, é muito interessante ouvir seus comentários introdutórios mencionando o trabalho da Psicóloga Virgínia Satir sobre o valor do toque humano bom e do abraço para a saúde.

Aprendemos com ele aqui que o Toque Divino quer reconstruir e alcançar até os considerados intocáveis; encorajar e assegurar os amedrontados; reconciliar os oponentes e os separados; e perdoar e comunicar o amor à família e à Igreja do SENHOR.

Gosto muito do Pastor Lisânias Moura. Nunca vou me esquecer do abraço caloroso e afetuoso que recebemos dele, eu e minha esposa, quando estivemos visitando a IBMorumbi no ano passado. A igreja dele quer ser um lugar de acolhimento e paz, e, por causa de pessoas como ele ali, assim ela é.

Não deixem de conferir esse vídeo.

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.