Repartir purifica

Boa tarde a todos!

A graça e a paz da parte de Jesus, o Cristo do SENHOR Deus, para todos os que celebram o seu Reino!

Como vão vocês e suas famílias? A Cibele hoje disse que “família é um senso de missão comum”.

Hoje vamos ler as Escrituras Sagradas mais uma vez. Que o SENHOR Deus nos dê entendimento sobre o que está escrito, em nome de Jesus, o Cristo, amém.

“Então o Senhor [Jesus] lhe disse: ‘vocês, fariseus, limpam o exterior do copo e do prato, mas interiormente estão cheios de ganância e maldade. Insensatos! Quem fez o exterior não fez também o interior? Mas deem o que está dentro do prato como esmola e verão que tudo lhes ficará limpo” (Lucas 11.39-41. NVI).

A realidade humana é que estamos ligados uns aos outros. O que acontece ao seu vizinho também lhe diz respeito, assim como o que acontece a você igualmente implica a mim.

Como já disse anteriormente, fariseu é aquele que está no topo, aquele que estabelece as leis, aquele que se beneficia em primeiro lugar dos atos de todos os outros. Fariseu é o dono da cultura e dos costumes de todo o povo, aquele que antes de todos os outros recebe os benefícios do nosso sistema econômico, ordem política e estrutura religiosa.

Fariseu é um homem que faz carinha de justo, observando apenas às suas próprias regras humanas, enquanto cobiçam e arrancam, com ganância, tudo quanto podem, perpetuando toda a forma de maldade como se seus caminhos fossem justificados por falarem em nome do SENHOR Deus.

O único jeito de ficar limpo é repartindo o alimento até que nenhum de nós tenha sido deixado com fome.

Mas justamente o processo de se tornar um fariseu é inverso a essa justiça, pois o aspirante a uma cadeira religiosa precisa passar por um sistema de crenças que o ensina a tirar um pouco do pobre, hoje e sempre.

A verdadeira religião se faz nas trincheiras da mútua sensibilidade e solidariedade. Minhas esposa disse “família é uma missão em comum”, o que quer dizer que família é quando todos começam a trabalhar em favor do suprimento dos nossos e da remediação das fontes de dores em nosso meio.

Fariseu não obedece aos mandamentos do SENHOR Deus, ele apenas cria argumentos para justificar seu próprio estilo de vida insensível e impassível.

Uma igreja se justifica ao proporcionar respostas de bondade e misericórdia aos mais fracos e vulneráveis no nosso meio.

Comida, educação, saúde, emprego, trabalho, dinheiro, descanso… De quê precisamos agora? Posso enxergar a mim como eu e você juntos?

Ninguém foi condenado por Jesus, o Cristo do SENHOR Deus, apenas esses: os gananciosos e maldosos.

Ontem estava conversando com uma pessoa muito especial que me perguntou: “você acha que a doença tem a ver com pecado?” Eu disse que sim, mas não do modo como outros a tinham desprezado e condenado. Acredito que de nossos pecados nascem as nossas doenças, mas apenas o perverso de coração será condenado.

A maioria de nós sofre no corpo consequências de pecados que não tiveram origem em nós, somos inocentes aos olhos do SENHOR Deus, enquanto temos a oportunidade de aprender um arrependimento mais profundo e significativo, enquanto lutamos de corpo e alma pela nossa cura divina.

“Deem o que está no prato como esmola e vejam como tudo lhes ficará limpo”.

Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo, e o editor do blog Curados por Deus.