Herói

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que tratando a cada dia as suas crianças como o seu maior tesouro!

Hoje vamos ouvir o vídeo infantil do grupo Minha Vida é uma Viagem sobre o herói bíblico Moisés.

Precisamos nos lembrar perpetuamente que a Lei do SENHOR Deus (escrita em tábuas de pedra pelo dedo do SENHOR Deus), o seu poder (representado pela vara de Moisés) e providência (representado pelo maná, o pão celestial) são o fundamento da aliança do SENHOR Deus com o homem, sancionada pelo sangue do Filho de Deus, Jesus, o Cristo.

Sua Lei não muda, seu poder não falha, sua providência a todos alcança. Todas as gerações testificam que o SENHOR é Deus, porque essas três coisas se mostram para todos antes do fim.

Todo o olho verá e toda boca confessará que o SENHOR é Deus e que Jesus é o seu Cristo.

Louvado seja perpetuamente aquele que Era, que É e que para sempre Será! Amém.

Boa semana!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, ex-baterista.

Túmulos disfarçados

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que reconhecendo cada dia mais que a índole de Jesus, o Cristo do SENHOR Deus, é o poder que criou e cria todas as coisas!

Hoje vamos ler a Bíblia mais uma vez e pedimos que o Espírito Santo nos dê a Palavra do SENHOR Deus.

“[Então o Senhor Jesus disse ao fariseu que o convidou para comer com ele:] ai de vocês [fariseus], porque são como túmulos que não são vistos, por sobre os quais os homens andam sem o saber!” (Lucas 11. 44. NVI).

As pessoas que estavam sendo acusadas por Jesus, os fariseus, eram os donos do judaísmo de então.

Eles citavam as Escrituras quando falavam e teciam um longo pano de regras, usos e costumes, que deviam ser observados por todo o povo. Mas aqui Jesus está chamando eles de túmulos não vistos, túmulos que não eram reconhecidos com tal, por sobre os quais os homens estavam caminhando sem o saber.

Túmulos que parecem apenas vias, mortuários decorados, disfarçados como pontes de acesso.

A índole do fariseu é a morte, um jeito de agir e lidar que adoecem até as últimas consequências.

É preciso deixar claro que o fariseu não é aquele que ama e guarda a Lei do SENHOR Deus, mas aquele que criava a Lei do Judaísmo da época, que a cada dia se tornava mais distante do Deus Vivo.

A índole de Jesus, o Cristo, era a encarnação do Espírito Santo, que é o fôlego do homem quando obedece à Lei do SENHOR Deus, mas a índole dos fariseus era a rejeição desse Espírito em nome das suas tradições, que lhes rendia honorários, prestígio, autoridade e poder.

O fariseu falava da religião, mas não era nem se deixava ser tocado por ela.

A falta de autenticidade e pureza de coração fazia daqueles homens um depósito de coisas mortas, um ímã para a perdição, mas estavam sempre vestidos com as roupas de gala e honra.

Os corações sinceros eram desencaminhados pela malícia subjacente aos conselhos desses homens hipócritas, mas aos revoltosos eles pareciam deuses inabaláveis.

Os fariseus não tinham nenhuma iniciativa de fé, mas se alimentavam da fé dos outros, enquanto lhes saqueavam os rendimentos e empurravam para a perversidade, a origem do falso testemunho.

Você não pode diminuir o tamanho do estrago imaterial que suas rodas de doutrinação inseria na sociedade judaica. Mas eles pareciam que jamais seriam pegos, que jamais seriam descobertos em suas maquinações envenenadas.

Não existe compaixão divina por esse tipo de escolha de vida. A advertência é radical, pois a sua condenação é certa.

Posso lhe dizer uma coisa, meu irmão? Nada do que está oculto permanecerá assim para sempre. No tempo do juízo do SENHOR Deus, o hipócrita será exposto e julgado por todos os puros, pois foram advertidos de que a maldade não será bem vinda no Reino do SENHOR Deus.

Por um instante estamos à mercê do poder dos fariseus, sendo por eles perseguidos e confundidos. Mas a índole do Cristo do SENHOR Deus prevalece sempre, de modo que todos seremos vistos e pesados em balanças celestiais, todo-justas, todo-verdadeiras.

Afaste-se do fermento dos fariseus, meu filho, pois a hipocrisia e a presunção são as únicas escolhas que podem arrancar do seu corpo o coração.

Arrependa-se dos seus pecados no dia de hoje; deixe as sombras do medo e caminhe de volta para a luz de Jesus, o Cristo!

Eu sei que você pode me ouvir. Eu sei que você pode se ouvir.

Se você escolher hoje comigo aqui perder a glória e os benefícios dos domínios de Satanás, então, eu lhe prometo, você receberá de volta a sua alma, o seu sono e a indizível alegria de ser feito filho do SENHOR Deus.

Perder para ganhar… Ganhar para viver eternamente.

Eu acredito em milagres!

“Seja feita a sua santa vontade, SENHOR Deus! Em nome de Jesus, o Cristo, amém”.

Boa semana!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Entrando no Reino de Deus

“Certo dia Jesus[, o Cristo,] estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: ‘Senhor, ensina-nos a orar, como João [Batista] ensinou aos discípulos dele’.

Ele lhes disse: ‘Quando vocês orarem, digam: Pai! (…) Venha o teu Reino'”. (Lucas 11.1-2. NVI).

Boa tarde a todos!

Estamos estudando as Escrituras no intuito de discernir o Espírito Santo.

Orar ao SENHOR Deus significa mover o nosso espírito para que ele fique mais parecido com o Espírito do SENHOR Deus e do seu Cristo.

Os discípulos de Jesus, o Cristo, desejam saber como fazer para seu espírito ficar limpo, forte, perfeito… E a resposta da parte do SENHOR é: que você deseje que a Lei do SENHOR prevaleça sobre as realidades humanas e se aplique até aqui dentro de nós.

“Venha o teu Reino”, cumpram-se as suas Leis; “venha o teu Reino”, tudo o que vive submeta-se voluntariamente às suas Leis.

De tantas maneiras os povos da terra respondem às Leis do SENHOR Deus. A flor das nações é o que brota da sua submissão ao governo do SENHOR.

Vamos nos lembrar do Reino do SENHOR Deus?

“Eu sou o SENHOR, o teu Deus, que te tirou do Egito, da terra da escravidão.

Não terás outros deuses além de mim.

Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes prestará culto, porque eu, o SENHOR, o teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam, mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus mandamentos.

Não tomarás em vão o nome do SENHOR, o teu Deus, pois o SENHOR não deixará impune quem tomar o seu nome em vão.

Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo. Trabalharás seis dias e neles farás todos os teus trabalhos, mas o sétimo dia é o sábado dedicado ao SENHOR, o teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teus filhos ou filhas, nem teus servos ou servas, nem teus animais, nem os estrangeiros que morarem em tuas cidades. Pois em seis dias o SENHOR fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia descansou. Portanto, o SENHOR abençoou o sétimo dia e o santificou.

Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o SENHOR, o teu Deus, te dá.

Não matarás.

Não adulterarás.

Não furtarás.

Não darás falso testemunho contra o teu próximo.

Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seus servos ou servas, nem seu boi ou jumento, nem coisa alguma que lhe pertença” (Êxodo 20.2-17. NVI).

Você deseja que essas coisas se tornem realidades? Você ora para que essas palavras se cumpram desde o seu mundo particular até os confins da terra?

Pense nisso, quem recita o “Pai Nosso” quer se comprometer com o Reino de Deus.

O SENHOR Deus abençoe a todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

A escolha de um companheiro e o toque

Bom dia a todos!

Perguntei à minha esposa: “amada, sobre o que devo escrever agora?” E ela me respondeu: “amado, escreva sobre a escolha de um companheiro e o toque”.

Falar sobre a escolha de um companheiro é difícil porque é algo muito diferente daquilo que aparenta ser.

Quando pensamos em escolher um companheiro estamos geralmente pensando em escolher uma pessoa. Mas isso não é o que a escolha de um companheiro realmente é.

A escolha de um companheiro na verdade é a escolha de um Deus, seja ele um ídolo, um falso “eu”, ou o SENHOR, o verdadeiro “Eu Sou o que Sou”.

Vou lhe ajudar a entender isso: o que você realmente é, o verdadeiro eu, o “Eu Sou o que Sou [MEU NOME]”, ele aparece quando você: guarda um dia para o descanso, honra seu pai e sua mãe, não mata (se abstém de todo tipo de violência e crueldade), não adultera (se abstém de todo tipo de imoralidade sexual), não rouba (inclusive trabalhando dignamente), não cobiça o que é do outro, não dá falso testemunho contra o seu próximo, é verdadeiro em tudo que faz e mostra misericórdia para com o autêntico necessitado.

O falso “eu”, ou idolatria, aparece quando você desobedece a Lei do SENHOR Deus, ou seja, quando você rejeita o Espírito do SENHOR.

A condição espiritual de uma pessoa escolhe o seu companheiro e suas alianças. Pois o toque do outro é o toque do espírito que está nele.

O que escolhemos no final é o espírito que queremos que nos toque, seja ele um espírito imundo qualquer ou o Espírito da Santidade do SENHOR Deus.

O companheiro que confirma o meu pecado e idolatria me abandonará, entristecerá e empobrecerá no fim. Mas o companheiro que confirma meu verdadeiro “Eu Sou o que Sou [MEU NOME]” e adoração genuína ao SENHOR dura para sempre, satisfaz e enriquece no final.

Por isso, se você quer um bom companheiro, deixe-se encher pelo Espírito da Santidade do SENHOR Deus.

Se você escolhe o SENHOR como Deus, ele o escolhe de volta através de rostos humanos novos e bons. O SENHOR tem filhos espalhados em todas as nações, povos, línguas e tribos.

É incomparável a força e a beleza dos Filhos do SENHOR Deus. Eles existem e estão entre nós.

Quando a Lei do SENHOR encher você de Vida Eterna, você vai abrir os olhos e encontrar diante de si o melhor companheiro que existe no mundo: o seu.

A distância entre a solidão e o amor é uma simples oração: “SENHOR, eu me arrependo dos meus pecados. Faz o Espírito do Cristo, Jesus, morar em meu coração e eu farei dele o meu Senhor e Salvador! Eu aceito o teu toque e recebo a tua unção de favor, paz e comunhão. Em nome de Jesus Cristo, amém”.

Se você fizer essa simples oração, eu creio e declaro, você nunca mais estará só.

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

 

 

 

Fé e fidelidade.

“Jesus desceu com [os doze discípulos] e parou num lugar plano.

Estavam ali muitos dos seus discípulos e uma imensa multidão procedente de toda a Judéia, de Jerusalém e do litoral de Tiro e Sidom, que vieram para ouvi-lo e serem curados de suas doenças.

Os que eram perturbados por espíritos imundos ficaram curados e todos procuravam tocar nele, porque dele saía poder que curava todos.

Olhando para seus discípulos, ele disse:

(…)

‘Não julguem e vocês não serão julgados.

Não condenem e não serão condenados.

Perdoem e serão perdoados.

Deem e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês.

Pois a medida que usarem também será usada para medir vocês’.

Jesus fez também a seguinte comparação:

‘Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois no buraco?

O discípulo não está acima do seu mestre, mas todo aquele que for bem preparado será como o seu mestre.

Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: ‘irmão, deixe-me tirar o cisco do seu olho’, se você mesmo não consegue ver a viga que está em seu próprio olho?

Hipócrita! Tire primeiro a viga do seu olho e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.

Nenhuma árvore boa dá fruto ruim, nenhuma árvore ruim dá fruto bom. Toda árvore é reconhecida por seus frutos. Ninguém colhe figos de espinheiros, nem uvas de ervas daninhas.

O homem bom tira coisas boas do bom tesouro que está em seu coração e o homem mau tira coisas más do mal que está em seu coração, porque a sua boca fala do que está cheio o coração.

Por que vocês me chamam ‘Senhor, Senhor’ e não fazem o que eu digo?

Eu lhes mostrarei com quem se compara aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras e as pratica.

É como um homem que, ao construir uma casa, cavou fundo e colocou os alicerces na rocha. Quando veio a inundação, a torrente deu contra aquela casa, mas não a conseguiu abalar, porque estava bem construída.

Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as pratica é como um homem que construiu uma casa sobre o chão, sem alicerces. No momento em que a torrente deu contra aquela casa, ela caiu e a sua destruição foi completa'” (Lucas 6. 17-20a, 37-45. NVI).

Estamos considerando aqui a terceira parte desse sermão dirigido aos discípulos no contexto da expulsão de espíritos imundos e cura de todos os que haviam ido a Jesus Cristo, o Senhor.

Na primeira porção, Jesus fala da bem-aventurança daqueles que não participam dos benefícios que o Diabo oferece agora, mas guardam a fé e os atos submissos ao Reino de Deus e a sua justiça, que veio e virá, e jamais terá fim. Também fala da condenação daqueles que escolhem esses benefícios em troca do Reino de Deus e sua justiça.

Na segunda porção, Jesus revela algo sobre o Espírito Santo, o espírito que filia o homem a Deus Pai: o Espírito Santo é misericordioso. É amando, fazendo o bem e sendo bondoso para com os ingratos e maus, que Jesus Cristo é reconhecido como o Filho de Deus e, nesse mesmo Espírito Santo, ele realiza seus milagres, curando todos os enfermos e endemoninhados ali.

Mas agora, Jesus parece dar aos discípulos algo em que se segurar, um parâmetro para interpretar o Reino de Deus e sua justiça, e criar expectativas corretas sobre o anunciado Reino de Deus.

Ele diz que se eu não julgar, eu não serei julgado; diz que se eu não condenar, não serei condenado; diz que se eu perdoar, eu serei perdoado; diz que se eu der, a mim será dado, e ainda mais, a mim será dado uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante!

No Reino de Deus é a medida que eu uso para medir o outro que é usada para medir a mim. Essa é a regra, essa é a verdadeira contingência, essa é a lei de Deus.

Por essa razão, um homem bom é conhecido pelos seus frutos (seus atos e suas palavras), assim como um homem mau. Pois é o que esse homem faz e diz ao seu próximo que revela o espírito imundo ou o Espírito Santo que está nele.

Como pode um homem sem o Espírito Santo, o espírito que veicula a misericórdia do próprio Deus, guiar outro homem para a Vida? Como pode um homem que julga, condena, não perdoa nem dá, apontar para outro homem onde está a Rocha Inabalável, que é Deus?

O discípulo não está acima do seu mestre, mas todo aquele que for bem preparado será como o seu mestre.

Só há um que é verdadeiro mestre: o homem que tem o Espírito Santo de Deus: ele tem a mesma misericórdia de Deus e jamais troca o Reino de Deus por quaisquer benefícios que o Diabo possa lhe oferecer.

Não há como ultrapassar o verdadeiro mestre, mas apenas ser como ele: ser filho de Deus.

Não adianta chamar Jesus Cristo de Senhor sem aceitar o Espírito Santo que dEle procede. Pois é por meio do Espírito Santo que Deus cura, liberta e salva o que crê em Jesus Cristo.

Quem pratica o Espírito Santo e por Ele se deixa encher, constrói uma casa firme, sobre alicerces verdadeiros (o Reino de Deus), que jamais será abalada. Por outro lado, quem não aceita esse Espírito Santo nem por Ele se deixa encher, constrói uma casa em falsos alicerces (os benefícios diabólicos), que jamais permanecerá em pé.

As palavras de Jesus Cristo transmitem o Espírito Santo, que curava todos e expulsava todos os demônios, sua fé em Deus e sua fidelidade ao Reino de Deus e sua justiça.

Os pés de Jesus Cristo estavam firmados na Rocha Eterna: Deus. Ele vivia debaixo da lei do Reino de Deus e, como Deus, construía para a eternidade pela fé e fidelidade.

Receba e pratique o Espírito Santo de Deus, submeta-se ao Reino de Deus e à sua justiça, e aguarde em fidelidade pelos atos de Deus, que vêm do Alto, por meio da sua fé em Jesus Cristo. E seja curado da sua enfermidade e liberto dos espíritos imundos, e salvo para a eternidade.

Em nome de Jesus Cristo, amém.

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.