Victor, a razão para a liberdade

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que pactuados, unidos por promessas coerentes, fortalecidos por compromissos verdadeiros!

Hoje temos aqui mais uma sugestão de filme para a edificação da sua família, “Victor”, dirigido por Brandon Dickerson, produzido em 2015, classificação etária 16 anos. Um drama baseado em livro e história real.

No início dos anos 1960, Victor Torres e sua família se mudaram de Porto Rico para o Brooklyn, em busca de uma nova vida. Mas ali eles enfrentam grandes dificuldades financeiras e Victor se envolve com gangues e o tráfico de drogas tentando ajudar sua família. Logo, porém, Victor se torna usuário de drogas, e seus pais, Manuel e Lila, procuram desesperadamente encontrar uma maneira de ajudar o filho até reencontrarem a sua fé e a graça do SENHOR Deus.

O filme retrata nitidamente qual o dilema de um usuário de drogas, bem como da criminalidade infanto-juvenil. Também transmite grande esperança aos nossos corações ao revelar que até o caminho mais mortal pode ser deixado para trás na jornada de conversão do homem ao amor do SENHOR Deus.

De 2015 até começo de 2019, quando ainda tinha carro, costumava ouvir o programa de rádio da Igreja Universal do Reino de Deus chamado “A Última Pedra”, dirigido pelo então bispo Rogério Formigoni, que adorava! Ali ele falava sobre a cura dos vícios e conversava com familiares de ex-adictos, que testemunhavam da cura divina através do programa.

Todos temos algum vício antes de conhecer ao SENHOR Deus. Vício é na verdade devoção ao ídolo: eu conheço uma experiência e sacrifico toda a minha vida para continuar tendo-a.

É por isso que devemos ter apenas o SENHOR como Deus, pois é a única adoração que resulta em vida eterna, quer dizer, em vida alegre, duradoura e multiplicadora do bem comum.

O vício não precisa ter a palavra final na nossa história. Volte-se para o SENHOR Deus, clame pelo seu nome. Nenhum sincero ficará sem socorro.

Eu acredito em vocês! Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, pai de família.