Massagens podais

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que deixando de fazer coisas que lhes fazem mal, corajosamente!

Hoje vamos falar aqui um pouco sobre massagens nos pés.

Nos pés estão terminações nervosas e vasculares que tiveram origem em quase todas as partes do nosso corpo, dizem os especialistas. Por esse motivo, ao tocá-los estamos tocando também a pessoa como um todo.

Um toque bom, pensando em efeitos terapêuticos, não é erótico nem agressivo, esotérico nem mágico. Antes, para ser mesmo terapêutico precisa ser manso, cuidadoso, casto, respeitoso, sensível e progressivo.

Um toque terapêutico nos pés manda para todo o corpo um sentimento agradável de relaxamento e bem-estar que fazem com que esse tipo de cuidados seja mesmo a profissão de alguns.

O que tenho a acrescentar a esse entendimento, como psicólogo corporal, é que também a realidade subjetiva ganha novos patamares a partir dessas experiências profundas de reconciliação.

Massagens nos pés nos devolvem ao lar. Estar em mim mesmo, estar comigo mais perto.

Depois de massagens nos pés nossa capacidade de ver e ouvir nossa alma aumenta e ganha espaço na nossa agenda de tarefas mais uma vez.

Acredito mesmo que esse tratamento, quando bem executado, favorece o movimento para a vida que é facilmente desacelerado pelo estresse, cobrança, preocupação e competição.

Com toques terapêuticos excelentes nos pés a multiplicação das células boas parece se tornar mais fácil enquanto a eliminação de toxinas e outras substâncias nocivas ganha um novo vigor.

O problema da massagem nos pés ou em qualquer outra parte do corpo é: será que serei tocado da maneira certa, aquela que produz benefícios reais?

Uma pesquisa rápida no Google com a palavra chave “massagem” traz tanta nudez, insinuações, quando não menções explícitas a práticas sexuais, ou uma densa nuvem de misticismo e conteúdo religioso que rapidamente a pessoa de bem desiste de se aproximar da massoterapia.

Hoje eu sei o quanto importante é receber e dar toques terapêuticos.

Recomendo a massagem nos pés na família como um poderoso antídoto a depressões, crises de ansiedade, distúrbios do sono, transtornos alimentares, impulsos suicidas, fobias e solidões.

Após uma massagem doméstica, você ainda pode estender as suas mãos sobre seu familiar e dizer a ele as melhores palavras de esperança e fé que você consiga desejar para a sua vida, como um toque final imbatível!

Vá a uma perfumaria da sua confiança, peça para ver cremes de massagem, cheire algumas opções e deixe o seu nariz escolher o produto que vai levar. Volte para casa e, quando estiverem se preparando para dormir, proponha uma atividade diferente: hoje vamos fazer massagens nos pés.

Tenho certeza de que esse aprendizado trará frutos eternos para você e sua família.

Não precisa apertar com força e o melhor é começar bem de levinho. Sem expectativas de fogos de artifício nem curas instantâneas, persista nesse caminho o quanto puder. Mesmo sem ver, saiba que o toque bom pode muito em seus efeitos. Com ele, você e sua casa avançarão para um novo patamar de intimidade e comunhão, e a uma saúde mental verdadeira.

O toque certo pode mudar a sua vida para melhor!

Boa semana!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, psicólogo corporal, CRP 06/89471.

Quando o corpo entra em colapso

Estivemos, eu e minha esposa, recentemente com uma visita que convulsionou na sala de nossa casa.

Quê situação mais difícil! Quanta tensão é gerada em todos quando algo assim acontece! Mas é preciso manter a calma para esperar a crise passar e para proteger a pessoa de objetos cortantes para que não se machuque ainda mais durante a crise sem precisar intervir de qualquer outra maneira em especial.

Quem convulsiona uma vez precisa ser avaliado por um Médico Neurologista e pode vir a ser medicado por ele com anticonvulsivantes, indicado para outros tipos de Tratamentos Médicos ou até mesmo procedimentos cirúrgicos.

A verdade é que temos medo de a pessoa que está em crise morrer e ao mesmo tempo também somos muito afetados pela violência da descarga tão intensa que corre através do corpo dela.

Em suma, é uma situação extremamente desagradável.

O que acontece quando um corpo entra em colapso dessa maneira? O que faz com que um corpo aja assim?

Muitas são as possíveis respostas dentro do rigor médico, mas podemos apontar que muitas vezes quando um corpo entra em colapso desse jeito é como se ele “reinicializasse” o seu funcionamento de forma abrupta forçando a desobstrução dos seus sistemas vitais por meio de uma parada total com uma forte descarga psicofísica.

O que pode acontecer em alguns tipos de convulsão, por exemplo, é que o corpo esteja usando toda a sua força neuroquímica de uma forma involuntária para sobrepujar obstáculos de seu funcionamento normal que não estão conseguindo ser superados de forma voluntária.

Um ataque epilético consiste de uma descarga total, um esvaziamento da capacidade neuro transmissiva, um uso completo de toda a eletricidade e neuroquímica do cérebro, e isso, em alguns casos, pode ter o propósito orgânico do rearranjamento funcional do sistema vivo.

Em resumo, pode ser a defesa mais primitiva de um corpo que por alguma razão já não aguenta mais continuar como está ou tantas outras possibilidades médicas, que não vamos comentar hoje aqui.

O que deve ficar claro para cada um de nós, no entanto, é que existe uma firme relação entre tensão psicofísica continuada e a eventual perda de força, o adoecimento e alguns tipos de situação de colapso.

Um sistema vivo que nunca relaxa de modo eficaz tem grandes chances de adoecer ou colapsar.

É o descanso eficaz que faz com que os caminhos neurais sejam refeitos e as funções vitais sejam desobstruídas e restabelecidas para plena operação em corpos saudáveis.

Embora os Toques Terapêuticos não curem a epilepsia, eles podem ajudar por causa do relaxamento eficaz que produzem e ensinam o corpo a reproduzir sozinho com o tempo.

Dr. Rafael Caldeira de Faria, Psicólogo Corporal, CRP 06/89471, e o Fundador do Projeto Terapêutico Toque Divino.