Desmistificando a revelação de Deus

Boa noite a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que tomando consciência mais e mais das fontes da vida e dos atos do Criador.

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a revelação do SENHOR Deus.

Os teólogos se debatem em torno da questão do conhecimento de Deus, um conhecimento que pode ser natural ou revelado, argumentam.

Sinto um incômodo profundo com uma das proposições que diz que “Deus opta por se fazer conhecido”, deixando sua marca na história ou falando ao homem de forma direta por meio dos seus profetas.

Não acredito que esse nível de deliberação seja possível, pois entendo e creio que absolutamente o SENHOR Deus é aquele que É.

Explicando um pouco, o SENHOR Deus não “opta” por se fazer conhecido, nem se revela com exclusividade, pois em todos os povos, em todas as gentes, o SENHOR Deus e sua Lei (Espírito Santo) são o fundamento de toda a vida e o baluarte de toda a sanidade.

A voz do SENHOR Deus é ouvida em todas línguas e entendida por gentes de todas as nações, porque não há como ocultar o Universo do conhecimento da glória do Todo-verdadeiro.

Ao longo da vida somos sustentados por essa mão invisível que nos socorre e nos preserva como jóias preciosas e filhos amados, uma mão que promove encontros perfeitos e nos oferece um caminho de existência corretivo, justo e bom.

Mesmo na dor e sofrimento sabemos no íntimo que os caminhos da bondade e fidelidade são os únicos que prosperam eternamente, dando-nos continuidade e razão.

O SENHOR Deus é o caminho, a verdade e a vida, e todo aquele que se torna um cristo por meio da fé, torna-se também um foco, um ancoradouro e um aspersor da vida divina, da poderosa graça de Deus.

Moisés era homem como você e eu, e, no entanto, traduziu em suas próprias palavras a índole do SENHOR Deus, que lhe acolheu.

Cada um de nós é único e especial (você é muuuuuito especial!).

Sua jornada será repleta de escapes e livramentos, confirmações e esperanças. Nenhum homem atravessa a vida sem testemunhar a bondade e a misericórdia do SENHOR Deus, o Autor.

Seu protagonismo emana da divindade que está aí dentro, falando sinceramente sobre o que você deve fazer agora, como pessoa de integridade e fé.

Eu sei que é difícil quando lemos nas Escrituras algo que não compreendemos completamente ou que contraria nosso entendimento fundamental. Mas a verdade é que as Escrituras são uma coleção de testemunhos humanos, perspectivas e confissões. Nela temos revelação tanto quanto a nossa experiência revela a onipresença do SENHOR Deus Pai.

Jesus disse que “isso é assim para que vocês saibam que o filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados” (Marcos 2. 10). Isso quer dizer que você e eu podemos alcançar a paz com o SENHOR Deus a ponto de respeitando a sua índole promovermos a reconciliação de outros com tudo aquilo que crê.

Você sem os ídolos, longe da mentira e do engano, é um santo filho do SENHOR Deus. Sem pecado você traz um novo vocabulário para transmitir ao mundo a sua revelação do Santo de Deus.

Jesus é um primogênito por essência, mas você é um revelador da glória do SENHOR Deus porque passará também pelo mesmo caminho de fé e paixão.

Olhe para a longa corrida. Dê passos de distância para recontar a sua história.

Se a dor e a enfermidade ainda não lhe trouxeram ao juízo perfeito, em breve a hora da morte lhe trará ainda mais radicalmente à necessidade de reconhecer que há somente um Deus e que seu nome sempre foi “Eu Amo Você”.

Que o SENHOR Deus lhe abençoe profundamente, porque você já sabe da graça de Deus!

Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, homem de dores.

Disciplina na família

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que a cada dia mais estejam convivendo em um ambiente respeitoso e acolhedor, fazendo da sua casa um lar!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a disciplina na família.

O que é um casamento?

Casamento é uma aliança entre duas pessoas, um pacto de amor e fidelidade, firmada sobre regras de compromisso. É por meio de um discurso que consentimos e estabelecemos os parâmetros que a fazem valer e continuar.

Assim, defendo que o casamento é um prêmio delicado, que precisa de muito investimento e honra para seguir eternamente.

Qualquer casamento que não possa terminar é patológico, gera doenças. Mas aqui não quero falar como psicólogo, mas apenas como teólogo amador.

O casamento é um tipo de relacionamento que precisa da concordância das duas partes, masculina e feminina, para existir na presença do SENHOR Deus.

Estou falando sobre essas coisas de modo introdutório, porque desejo ensinar sobre a importância da disciplina no lar.

O marido precisa disciplinar a esposa e os filhos; a esposa precisa disciplinar o marido e os filhos; e os filhos precisam disciplinar os irmãos e os pais.

Essa ideia pode parecer obtusa, mas acredito que dentro de nós o SENHOR Deus coloca parâmetros de justiça que concedem a sensibilidade necessária para a mútua correção e ensino nos caminhos eternos.

O homem não pode permitir que o relacionamento continue sem que ele seja respeitado; a mulher não pode permitir que o relacionamento continue sem que seja amada acima de todas as coisas; o filho não pode permitir que o relacionamento continue sem que seja ensinado pela melhor atenção de seus pais.

Temos que perceber que a vida familiar acontece dentro de relacionamentos em que cada um precisa assumir e se responsabilizar por sua parte.

É por essa razão que o homem pede respeito, antes de tudo; a mulher, fidelidade, amor e prioridade; a criança, atenção e engajamento na sua educação.

Preciso dizer que a disciplina no lar é FUNDAMENTAL.

Aqueles que são negligentes em lutar pela parte da aliança que os toca acabam mal, muito mal.

Há as doenças psicológicas, delas falamos em um outro momento, mas principalmente a morte espiritual.

Por exemplo, um homem definha se as pessoas da sua casa são desrespeitosas na sua presença; a mulher se desanima da vida quando há rumores de infidelidade conjugal; e as crianças se tornam verdadeiros estranhos quando seus pais se recusam a participar solidariamente das suas aventuras.

Defendo que se volte a atenção para si mesmos e para o SENHOR Deus, para ouvir, para sentir, para se reconectar. Depois disso, deve-se agir em nome do acerto mais profundo do que as aparências da cordialidade exterior e rotineira.

Se o seu marido não fala com você em primeiro lugar, então você precisa discipliná-lo; se o seu pai não participa da sua vida, então você precisa discipliná-lo; se a sua esposa não o trata como o senhor da sua casa, então você precisa discipliná-la.

Saiba dessas coisas em seu interior e então peça ao Deus Altíssimo, o SENHOR, pelo caminho perfeito para disciplinar a sua família.

Disciplinar é diferente de agir irracional, violenta ou brutalmente, mas é igual a exigir com mansidão e fé que os termos da aliança que fundaram e sustentam a sua família sejam observados.

Se o seu relacionamento não é uma aliança no SENHOR Deus, então precisa terminá-lo e começar do princípio, só que direito. Por outro lado, se houve verdade e transparência para com o Soberano no momento do estabelecimento da sua relação com o outro, então é necessário investir em conhecer e aprofundar os méritos dessa relação.

Disciplina na família é levar o SENHOR Deus à sério no coração.

Ou cada um cumpre o seu papel ou é melhor se afastar da toxidade do convívio desgraçado.

Não tenha medo de por à prova os seus relacionamentos importantes, pois eles moldarão o seu espírito, para o bem ou para o mal.

Pense nisso!

Em oração por todos vocês! Orem também por nós!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

From Patient to Physician

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que testemunhando os feitos do SENHOR Deus em nossa geração!

Hoje temos aqui um vídeo do pastor Joel Osteen falando sobre o importante tema da transformação divina.

Todos temos uma luta na vida, um tema de tensão e expressão sobre o qual esperamos a ajuda, a intervenção do SENHOR, nosso Deus.

Algumas famílias sofrem por causa do vício de drogas, por exemplo, tendo perdido alguns de seus membros, tragados pela morte que o acompanha. Outras padecem com a imoralidade e a devassidão. Temos ainda as casas cadavéricas por causa da ganância e cobiça financeira ou arruinadas pelas dívidas e má administração.

Todos precisamos da cura que procede do trono do Deus Altíssimo. E é aqui que precisamos aprender a grande lição: o SENHOR Deus somente permite o nosso sofrimento específico porque é somente assim que somos capacitados para ministrar a cura e a salvação do nosso Deus nessas mesmas áreas a outros.

O sofrimento do ímpio é castigo, mas o do justo é aprendizagem e treino, capacitação para boas obras.

No Reino do SENHOR Deus todo paciente um dia se torna médico.

Aprenda com o pastor Joel Osteen e que a graça de nosso Senhor Jesus, o Cristo, o transporte a uma nova consciência e tempo de vida!

Amamos vocês!

Acreditamos em vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo, e o editor do blog Curados por Deus.

Cura divina

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que estejam bem e esperançosos, pois o Senhor Jesus, o Cristo do SENHOR, logo vem nos visitar carregando a cura em seus abraços!

Gostaria de lhes falar um pouco hoje aqui a respeito da cura divina.

Embora esse blog seja o Curados por Deus, muito poucas vezes eu falei explicitamente sobre a cura que provém de Deus, mas espero inspiração pelo Espírito Santo para fazermos isso hoje aqui.

O SENHOR Deus cura? Como ele cura? Quando ele cura? Qual o custo dessa cura?

Talvez o maior sinal da reconciliação de um homem com o SENHOR Deus seja que quando finalmente nos acertamos com o Altíssimo as enfermidades já não conseguem mais prosperar em nós nem a morte encontra motivos justos para nos reter.

Cura divina é saúde física, mental e espiritual; é quando o Espírito do SENHOR de fato passa a proceder da nossa própria alma como se fôssemos um receptáculo e fonte da sua gloriosa presença e majestade.

A cura divina não é o começo da jornada de fé, mas a herança confirmadora de que alguém de fato trilhou o caminho estreito e apertado do arrependimento, em um voto de confiança sincero para com os mandamentos daquele que é Deus, o SENHOR.

O modo primordial como o Soberano cura é levantando os olhos daquele que sofre para o Cristo pendurado na cruz. A conversão das más escolhas espirituais para a vida eterna se dá nesse momento único quando o castigo que me era devido é totalmente infligido no justo Filho de Deus por amor a mim, para me dar uma segunda chance de vida e paz no Reino do SENHOR Deus.

Desde a eternidade a liberdade para conhecer o pecado e a maldade carecia de uma substituição vicária, pois o fruto do pecado é a morte. Por essa razão a graça do SENHOR sempre atuou através do derramamento do sangue de um cordeiro sem defeitos. Mas o sacrifício de animais não era poderoso para anular a dívida espiritual dos homens, servindo apenas como um memorial à consciência, uma lembrança de um evento futuro: o SENHOR providenciará a justiça para os crentes. E assim tudo aconteceu, conforme o testemunho das Escrituras Sagradas.

“Mas ele foi traspassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe a paz estava sobre ele e pelas suas feridas fomos curados” (Isaías 53.5. NVI).

Quantos de nós precisamos ainda de um toque mais profundo da maravilhosa cura do SENHOR Deus? Você quer ser curado tanto quanto eu?

Vícios, doenças físicas e/ou mentais, traumas, feridas, compulsões, distrações, degenerações, vergonhas, culpas, mentiras… O Deus que Cura pode fazer novo tudo de novo.

O custo da cura divina é a sua firme determinação em obedecer ao SENHOR Deus, mesmo sem sentir resultados e/ou conforto imediatos. O SENHOR Deus vai curar você, se você abandonar suas práticas pecaminosas, suas más companhias e seus projetos pervertidos. Uma mente nova e novos olhos iluminados de bondade são o benefício de uma aliança viva e verdadeira com o Supremo Deus, o SENHOR.

Há nódulos que regridem, vícios que ficam impotentes, sentenças de morte que são ignoradas… O SENHOR Deus pode todas as coisas.

Suas lágrimas serão contadas pela sinceridade do seu retorno aos caminhos do SENHOR Deus.

Alguns esperaram por 8 anos, outros 15, mas aqueles que se dispuseram a entrar na presença do Altíssimo com suas súplicas e petições foram curados até a origem dos seus pensamentos maus.

O SENHOR Deus é bonito e seu processo de cura, o tratamento da alma, é justo e oportuno. Ninguém que alcançou a legítima cura divina reclama do tempo e da dor da luta com o Espírito Santo. Todos reconhecem que foram justos, oportunos e breves os dias da sua disciplina celestial.

Não seja como uma criança mimada, nem como um maledicente incrédulo. Seja como um herói da fé.

Comece a falar e agir como se já tivesse sido curado por Deus. Antecipe o dia do seu milagre vivendo de maneira irrepreensível na presença do Santo Filho de Deus.

O tempo para o alívio e o frescor da sua cura está próximo, pois o Reino do SENHOR Deus está próximo.

Submeta-se ao Rei, pare de pecar, confessando toda a iniquidade até que ela nunca mais atue em você.

Eu confio no SENHOR Deus! Bem vindo à cura divina!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo, e o editor do blog Curados por Deus.

A bênção de um pai

Boa tarde a todos!

Hoje vamos aprender com o Pastor Joel Osteen sobre a bênção de um pai.

Qual o valor da sua bênção? Que diferença o seu favor pode fazer na vida do seu filho?

O SENHOR Deus colocou em cada um de nós o anseio pela bênção do nosso pai. Às vezes para sermos curados precisamos descobrir que o Pai por detrás de nosso pai é o próprio SENHOR Deus, o Todo-poderoso.

Que a belíssima voz de profecia do amado Pastor Joel Osteen alcance o seu coração e inicie uma obra de cura sobre todo o seu ser e sobre a sua casa!

Que o SENHOR Deus nos abençoe a todos hoje aqui!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.