Sobre o divórcio

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que firmando os seus passos sobre o firme e inabalável fundamento da Palavra de Deus! O que o SENHOR Deus diz, nisso podemos confiar!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o divórcio.

Está escrito “o que o SENHOR Deus uniu homem nenhum separe”; também “deixará o homem o seu pai e a sua mãe, unir-se-á à sua mulher e os dois serão uma só carne”.

O que o SENHOR Deus une, jamais deverá ser separado. Seria um pecado mortal.

Mas nem tudo o que está unido em certidão de casamento e cerimônia religiosa foi de fato unido pelo SENHOR Deus e, portanto, poderá e deverá ser separado, se procura-se pela paz do SENHOR.

O SENHOR Deus somente tem parte com aquilo que é feito segundo a sua Lei ou Espírito Santo ou Santidade. Ele não abençoa nem valida as coisas que são feitas por outros caminhos; elas terão que ser destruídas/desfeitas antes do fim.

Casamento feito pelo dedo do SENHOR Deus é assim: “honra teu pai e tua mãe”, “não terás outros deuses além de mim”, “não adulterarás”, “não furtarás”, “não darás falso testemunho ao seu próximo”, “guardarás o sábado para santificá-lo”, etc.

Qualquer tipo de união feita em espírito de transgressão terá que ser terminada, se os parceiros quiserem viver.

“O SENHOR Deus resgatou um povo do Egito, mas posteriormente destruiu todos aqueles que não creram”.

Qualquer relacionamento que não possa ser terminado é uma fonte de doenças, descaminhos e desgraças.

É por isso que um casamento saudável começa com promessas de ambos os lados, que delimitam parâmetros tanto para a união quanto a exclusão da aliança eterna.

Se no seu casamento a única sexualidade que conseguem são perversidades e não há prazer na intimidade natural, então a aliança entre vocês não foi firmada juntamente com o SENHOR Deus e no fim, se quiserem ser curados, terá que ser terminada.

Se no seu casamento a estabilidade financeira depende de roubos e/ou subornos, então a aliança de vocês não foi firmada juntamente com o SENHOR Deus e no fim, se quiserem ser curados, terão que terminá-la.

Seu casamento é um tributo de honra ao SENHOR Deus ou um buraco de imundícias e conluio?

Seu relacionamento com a família do seu cônjuge é de amorosidade, respeito e apreço ou de rejeição profunda e desdém?

A pessoa do nosso cônjuge pode ser certa ou errada para nós e tudo isso vai ser revelado pelo tipo de relacionamento que conseguimos ter com ele: se um Espírito Santo, então bom para o casamento; se um espírito imundo, então necessariamente para o divórcio.

Casamento é um assunto sério na presença do SENHOR Deus. Por isso que falsos casamentos ou malditos custam um preço de morte.

Se você fez/está errado, arrependa-se, reconheça o seu erro, desfaça o mau relacionamento e peça ao Senhor Jesus que o substitua na penalidade pela bagunça que você aprontou. O SENHOR Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e purificar das injustiças, quando confessamos sinceramente.

Por outro lado, se você casou-se em pacto sagrado, você transformou-se em uma só carne com o seu cônjuge pelo dedo do SENHOR Deus. Nesse caso, lembre-se que também está escrito “eu odeio o divórcio, diz o SENHOR”.

Divórcio por querer seguir a ganância, adultério, desprezo do SENHOR Deus, infidelidade, covardia… Todos esses serão condenados e castigados com a maior severidade.

A aliança abençoada pelo SENHOR Deus será para sempre um manancial de vida eterna.

Avalie a sua condição. Se não consegue desejar filhos, nem intimidade natural com seu cônjuge, pense em sair o quanto antes desse relacionamento.

Promessa do SENHOR Deus: quando você paga o preço doloroso de fazer o que é o certo, então o SENHOR Deus pode lhe elevar a patamares sublimes, realizando absolutamente os desejos mais preciosos do seu coração, para o bem e alegria de todos os outros, sua família, sua pátria, sua nação.

Eu acredito em vocês! Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, homem de dores.

PS: acabei de publicar o pdf do meu livro Minha Doce Saúde Mental, contando sobre minha luta com a esquizofrenia e vitória através da medicina e espiritualidade cristã. Um link permanente ficará disponível na página Sobre deste blog.

Andando com Deus

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que compartilhando amor genuíno, beijos, abraços e cuidados em todos os níveis, com toda a pureza e lisura.

Hoje gostaria de compartilhar aqui um vídeo do excelentíssimo Dr. Ed Curtis, teólogo, professor emérito da Biola University, falando sobre o que é andar com o SENHOR Deus, uma chave essencial para o discipulado cristão.

Andar com o SENHOR Deus é uma escolha de fé. Não é algo que se alcança sem uma escolha profunda, verdadeira e cotidiana, porque todo justo é provado e atacado em um mundo que odeia a paz.

A verdade é que todas as gerações são empurradas na direção do assassinato do Cristo, o que quer dizer, todas as gerações não sabem amar ao SENHOR Deus até que um justo lhes mostre o caminho, apresentando-se como sacrifício vivo de obediência e temor do SENHOR.

A boa notícia é que somente o SENHOR Deus realiza os desejos do coração. A prosperidade, a força, a beleza, a autoridade, a alegria, a saúde, etc., todas essas coisas foram criadas para os filhos do amor do SENHOR Deus. E por mais que a morte possa momentaneamente triunfar sobre eles, é impossível que ela retenha para si os filhos do Eterno Deus.

Nunca é tarde demais para dizer “eu e minha casa serviremos ao SENHOR Deus!”

Eu acredito em vocês! Eu acredito em milagres!

Aproveitem o vídeo, pérola santa!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, editor.

Chave do conhecimento

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que unidos e se unindo cada vez mais pelo vínculo do amor!

Hoje vamos ler mais um trecho das Escrituras Sagradas. Que o SENHOR Deus nos dê a sua Palavra, em nome de Jesus, o Cristo, amém!

“[Disse Jesus:] ‘ai de vocês, peritos na lei, porque se apoderaram da chave do conhecimento. Vocês mesmos não entraram e impediram os que estavam prestes a entrar!'” (Lucas 11. 52. NVI).

O acesso ao Reino do SENHOR Deus é fácil ou difícil? Compreensível ou incompreensível? Possível ou impossível?

“Portanto, a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça, pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre [todos], porque Deus [o] manifestou. Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendido por meio das coisas criadas, de forma que [todos somos] indesculpáveis” (Romanos 1. 18-20. NVI).

A vida eterna está aí, disponível, circulando…

Muitos foram curados pelo SENHOR Deus e dão poderoso testemunho de que os caminhos do Deus Altíssimo são justos e verdadeiros, nenhum dos seus mandamentos é sem verdade e direção.

Mas a beleza e a majestade dos filhos da luz divina são cobiçadas por homens perversos e maus, que violentamente tomam, sem qualquer legitimidade, as histórias perfeitas e as distorcem grosseiramente para que o dom gratuito que procede delas possa ser ocultado, para que não haja arrependimento nem cura verdadeiros, e as pessoas não sejam livres.

Veja o que os peritos na lei fizeram com o texto de Jó, por exemplo. O texto conta a jornada de um justo até o perdão dos seus pecados, por meio da tragédia e do encorajamento a uma fé mais profunda, as palavras dos amigos de Jó. Mas então, aquilo que é uma fonte de vida e discernimento eternos, um genuíno caminho terapêutico, transforma-se em anátema por meio de uma conclusão obtusa e maligna que propõe a suspeita aos preceitos do amor divino.

O coração do homem sempre soube da acessibilidade ao Reino do SENHOR Deus, mas para entrar ele precisa aprender a ignorar a voz dos peritos na lei e a confiar na voz mais doce e singela: “eu estou com você, eu o criei e, finalmente, o perdoei pela sua transgressão”.

Sim, é na descoberta do amor verdadeiro que somos curados.

Primeiro precisamos suportar a solidão e a vergonha através da coragem para “estar só” na presença do SENHOR Deus. Deixar a roda dos vociferadores de tradições complexas, falsas e impuras, para “estar só” na casa do amor sincero e da prática da justiça divina.

Por mais que a violência dos hipócritas exista por um pouco de tempo, o Espírito da Santidade do SENHOR Deus conduz homens e mulheres de todas as gerações para fora de sua escuridão.

Como aprendemos hoje na peça infantil ministrada na Igreja Batista do Povo na Vila Mariana, São Paulo, SP, Brasil, o mal somente ganha se entregamos nossa voluntariedade a ele, pois o Diabo só tem voz na boca de quem não crê até o fim.

Quando somos muito pressionados às vezes não suportamos e lançamos mão de mentiras, desobediências, covardias e crueldades. Mas se confessarmos nossos pecados, o SENHOR Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda maldade.

A chave do conhecimento é o exemplo de um homem santo. E o poder de um homem santo é a sinceridade do seu arrependimento e a generosidade do seu amor.

Como perito na lei, eu devolvo a você no dia de hoje a “chave do conhecimento”.

O nome do jogo é arrependimento e fé.

A fonte da força é o amor.

E só ama aquele que se dedica à prática da justiça.

Pense nessas coisas, pense também em mim.

Que a graça e a paz do Senhor Jesus, o Cristo do SENHOR Deus, sejam com todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, homem religioso.

Adorando o homem bom

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que acendendo outra vez o amor que acolhe e disciplina, cumprindo toda a justiça, para a sua Salvação!

Hoje vamos ler a Bíblia mais uma vez aqui. Que o SENHOR Deus nos dê a sua Palavra, em nome de Jesus, o Cristo, amém!

Disse-lhes Jesus: “Ai de vocês[, peritos na lei], porque edificam os túmulos dos profetas, sendo que foram os seus próprios antepassados que os mataram. Assim vocês dão testemunho de que aprovam o que seus antepassados fizeram. Eles mataram os profetas e vocês lhes edificam os túmulos.

Por isso, Deus disse em sua sabedoria: ‘eu lhes mandarei profetas e apóstolos, dos quais eles matarão alguns e a outros perseguirão’. Pelo que esta geração será considerada responsável pelo sangue de todos os profetas, derramado desde o princípio do mundo: desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário. Sim, eu lhes digo, esta geração será considerada responsável por tudo isso” (Lucas 11.47-51. NVI).

Quem é Jesus de Nazaré? Quem é esse homem a quem chamamos de Cristo ou Ungido de Deus?

Jesus é o homem bom.

O escândalo da adoração a Jesus de Nazaré é que adorando ele estamos adorando ao homem bom.

O homem bom é aquele homem que é escravizado pelos homens violentos, usado e abusado justamente por sua índole verdadeira.

O mundo é carregado pelos ombros dos homens bons, aqueles que por meio da humildade e fidelidade, preocupam-se em fazer o verdadeiro bem que está a seu alcance em um sacrifício de amor pelo SENHOR Deus e pelo próximo.

No final, as obras de todos os outros homens são apagadas, mas os feitos dos homens bons permanecem de geração a geração. Por essa razão que seu nome é lembrado e seu legado eternizado, porque a excelência humana procede dos homens de fé.

Os peritos na lei se apoderam desses tesouros, mas não para promover o bem comum, antes, motivados por sua ganância, administram as palavras de vida cruelmente, roubando o mundo e envenenando a sua própria geração. Muitos enganos e grande violência, os covardes matam e perseguem os filhos da Luz.

O engano fundamental é distorcer o entendimento até o ponto de fazer desconfiar de que o verdadeiro poder, honra, glória e majestade pertençam total e exclusivamente ao homem bom.

Esses fariseus e peritos na lei inclusive fazem parte das igrejas e instituições cristãs. Eles fazem Jesus de Nazaré parecer alguém com superpoderes, um ser divinizado e irrepetível, porque assim se consagram como exclusivos portadores da sua mensagem, truques mágicos e autoridade.

Mas isso está errado! A verdadeira espiritualidade e redenção começam quando as mentiras se calam no gesto perfeito de arrependimento e adoração sincera ao homem bom.

É ali onde você é somente um homem com uma boa intenção que nasce o espírito santo, o surgimento do autêntico cristão.

Abel e Zacarias não tinham superpoderes, mas se deixaram ser e permanecer homens humildes e servos fiéis.

Servo e escravo do SENHOR Deus é o homem livre que livremente ajuda o próximo até o fim de seus dias pela fé.

O homem bom faz o que é o certo, permanecendo reto e obediente ao SENHOR Deus, mesmo quando sua vida ou as fontes da sua vida (sua família, pais, cônjuge, filhos) parecem estar sob ameaça.

Jesus de Nazaré não se mantinha fiel porque tinha poderes sobrenaturais, mas recebeu poderes sobrenaturais porque se mantinha fiel. O homem bom será exaltado eternamente!

Se você é um perito na lei, tem nas mãos autoridade para dar vida e morte, porque o homem bom vive a serviço da sua nação. Se você o machucar, então perderá o seu trono, sua paz e o seu lar. Mas se se arrepender, tanto para honrá-lo, quanto para seguir os seus passos, então os seus pecados lhe serão perdoados e você terá parte na herança do justo, que é a verdadeira herança e a riqueza que jamais se perderá.

Hoje é um dia de festa, pois aqui e agora o escândalo cristão está aberto para o povo brasileiro e as nações de língua portuguesa!

Essa é a pedra angular do Reino do SENHOR Deus e também a rocha que faz tropeçar e cair!

Você ousaria retirar os seus olhos do homem arrogante e torná-lo dedicado à virtude do homem bom?

Que o SENHOR Deus responda favoravelmente à sinceridade do seu coração! Em nome de Jesus, o Cristo do SENHOR Deus, amém.

Deus abençoe a sua semana!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, homem religioso.

O nome de Deus é misericórdia

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que estejam vivos por meio de Cristo, renascidos pelo sopro do SENHOR Deus.

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a natureza do SENHOR Deus.

Nesse mês que passou, junho/julho de 2019, tivemos nosso carro furtado na porta de casa. Onde moramos não temos garagem no prédio, de modo que nosso carro costumava ficar estacionado ali. O furto trouxe grande transtorno a todos nós, mas um telefonema prometia uma solução imediata: uma funcionária do seguro do carro disse que tínhamos direito ao usufruto de um carro reserva.

Aceitamos o “presente” e no dia seguinte já estávamos com o veículo novo. Três dias adiante, porém, tivemos esse segundo carro furtado também no mesmo lugar.

No dia anterior ao segundo furto eu tinha resolvido com minha esposa: “Cibele, amanhã nós vamos devolver esse carro reserva, pois não podemos garantir a segurança desse carro também”. Mas na manhã do dia seguinte, ele já havia sido levado. Que agonia!

O nosso carro, na verdade, carro da empresa do meu pai, será reembolsado pelo seguro, mas o furto do carro da locadora implicou o pagamento de uma franquia de R$2.000,00. Que desgraça!

Quando, contudo, fui falar na locadora que a polícia havia localizado o carro deles próximo ao endereço do furto, no mesmo dia em que o evento ocorreu, fui acolhido de uma maneira especial naquele lugar. O homem, funcionário da locadora, vendo a minha angústia, ofereceu-me um copo de água de tal maneira que então eu chorei. Disse para aquele homem que não tinha o dinheiro para pagar por aquela franquia e ele respondeu que intercederia em meu favor para que pagasse apenas pelos danos ao carro e prometeu me ligar para uma vistoria conjunta, quando o carro chegasse.

A verdade é que ele não me abateu nenhum centavo nem nunca me ligou para aquilo. Mas essa situação toda me fez redescobrir uma verdade fundamental: o nome do SENHOR Deus é misericórdia.

Se você quer saber onde habita o Deus Eterno, o Todo-poderoso, ele pode ser encontrado ali onde começa a misericórdia no coração humano.

Misericórdia é quando você faz algo em favor do outro porque ele é um outro ser humano. Perdoar dívidas, prestar serviços excelentes, oferecer descontos significativos e suficientes, compartilhar do seu pão como se o outro também fosse parte da sua própria família… Misericórdia é o nome do Deus de Abraão, Isaque e Jacó; misericórdia é o nome do Deus de Israel; misericórdia é o nome do Deus de Jesus de Nazaré, o Cristo.

O único espírito que acerta nos domínios espirituais é a misericórdia que opera através do amor. Aquilo que a misericórdia não consegue alcançar e converter para o SENHOR Deus, será então destruído em fogo eterno. Mas tão grande salvação é promovida na face da terra por seu intermédio!

Já lhe falei que o dinheiro que você ganha lhe é dado gratuitamente? Por mais que você trabalhe, possua contratos com firma reconhecida e legalizados pelas leis da nação, disponha de poder de polícia a seu favor, você só recebe cada centavo porque gratuitamente o SENHOR Deus Eterno assim lhe provê.

Por essa razão que todo o orgulho é ilegítimo.

Mas o homem fiel teme o seu Pai Celestial. Quando ele está diante de outro ser humano, ele teme e treme, pois está diante de feitura de Deus, dignificada e prestigiada pelo amor e zelo do Deus Criador.

Misericórdia, misericórdia, misericórdia… O SENHOR Deus está ali onde você é e faz por genuína misericórdia.

De graça recebemos, de graça também entregamos. Não se deixe enganar, tudo no mundo acontece por meio de misericórdia que é abençoada pelo Deus Pai.

Toda arrogância é esmigalhada em pouco tempo. O ímpio só dura um breve instante e o homem cruel não mais existirá.

Não deixe que a violência dos homens se apegue ao seu próprio espírito. É melhor perder agora e por um breve instante, do que ser contado entre os violentos dessa geração.

Deixe-se encher pelo Espírito Santo: escolha a misericórdia no trato de si mesmo e dos outros, de todos os outros.

Eu acredito em milagres!

Tenha uma excelente semana!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Fardos difíceis de carregar

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que cultivando uma vida de devoção e fé, uma vida de pureza de espírito e esperanças no Deus de Cristo, o SENHOR!

Hoje vamos ler a Bíblia mais uma vez, um trecho do Evangelho de Lucas. Que o SENHOR Deus nos dê a sua palavra, em nome de Jesus, o Cristo, amém!

“‘Quanto a vocês, peritos na lei’, disse Jesus, ‘ai de vocês também! Porque sobrecarregam os homens com fardos que dificilmente eles podem carregar e vocês mesmos não levantam nem um dedo para ajudá-los'” (Lucas 11. 46. NVI).

Quem legisla, advoga, documenta, contabiliza, normatiza… Geralmente faz isso sobre a vida dos outros, mais especificamente sobre a vida dos simples, dos homens comuns.

Se os peritos na lei estivessem incluídos nas regras que impõe aos demais cidadãos, talvez não fossem censurados pelos olhos divinos, como foram nesse momento.

As pessoas que manipulam os parâmetros da vida em sociedade são os que dominam sobre o povo por meio da força e poder de polícia. Aumentar impostos, criar “novos pecados” ou motivos para punições, é muito fácil arbitrar sobre a vida dos outros, quando há proteções legais para que o mesmo rigor que se aplica ao outro nunca recaia sobre mim mesmo e minha família.

O verdadeiro legislador é um homem de compaixão e grande misericórdia. O Ungido do SENHOR Deus é aquele que trabalha no sábado (shabbat) quando isso significa ajudar seu próximo a carregar seu fardo na vida. Às vezes devemos sacrificar a lei/hábito/costume para fazer a Justiça do SENHOR Deus.

“Como são bonitos os pés dos que anunciam boas novas”.

Quem legisla para a liberdade de todos, legisla para a glória do SENHOR Deus; quem julga segundo a Justiça do SENHOR Deus, pratica o bem e jamais será desarraigado, sua família viverá eternamente.

Se você recebeu poder do alto para determinar como viverá o seu irmão, tenha cuidado para não obrigá-lo a um rigor que traga condenação sobre você que legisla e a sua família.

Jesus, o Cristo do SENHOR Deus, não suporta a hipocrisia dos homens cruéis, que em face do sofrimento, necessidade e vulnerabilidade do seu compatriota se exaltam como tiranos sem coração.

O mais fraco, seja estrangeiro, órfão ou viúva, tem o próprio SENHOR Deus Altíssimo como escudo e fortaleza. O justo humilde será vingado e indenizado em toda medida e além.

Por que você age com orgulho arrogante, como se a posição de influência e poder sobre o povo não lhe tivesse sido dada pelo SENHOR Deus para a prática do bem?

O seu irmão mais fraco é você. A fraqueza e a força são circunstanciais, pois somos todos iguais, à mercê dos desígnios do SENHOR Deus.

Lembre-se do SENHOR Deus enquanto é tempo! Devolva o dinheiro extorquido, restitua os bens roubados!

Viva segundo as leis da sua nação, sabendo que todo caso legal pode ser reinterpretado à luz da complexidade da situação concreta e da misericórdia do Soberano do Universo.

Não é porque algo é legal que a sua aplicação também é ética. Pois às vezes a lei promulgada é antiética e às vezes o cumprimento da ética extrapola as leis da nação.

Aprofunde a sua espiritualidade: “o outro sou eu; o outro é minha família; o outro é minha própria alma”.

Sabe qual a vitória do SENHOR Deus no mundo? O homem íntegro, fiel, leal e justo.

No amor está a chave que desfaz toda amarra de condenação. “Caim, se você fizer o bem acaso não será também aceito?”

O SENHOR Deus em nós é como um refrescante Espírito Santo, mas também como um fogo de juízo e separação para todo aquele que oprime e violenta o seu irmão.

Não é porque todo mundo está fazendo que está certo; não é porque você pode fazer que é justo fazê-lo.

Abandone o direito quando ele promove a injustiça.

“É melhor um bom nome do que os lucros da perversidade”.

O SENHOR Deus enriquecerá o homem bom.

Eu acredito em milagres!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.

Inerrância bíblica

Boa noite a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que a cada novo dia estejam se dando conta do privilégio que é o tempo em que podem estar juntos, compartilhando a vida e tocando uns aos outros em amor!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o conceito teológico chamado inerrância bíblica.

A organização da religião cristã foi acontecendo, uma vez que a cada dia se tornava mais relevante a nova religião centrada na pessoa de Jesus, o Cristo do SENHOR Deus.

Os apóstolos como fundamentos foram dando lugar aos escritos apostólicos e canônicos, pois com sua inevitável morte, seria necessário levantar fundamentos atemporais para a religião cristã.

Houve então concílios e reuniões com autoridades da igreja institucionalizada em que se elegeram quais livros/cartas seriam acrescentados ao cânon judaico, como Escrituras Sagradas, Palavra de Deus.

A partir dessa escolha, foram necessárias explicações e argumentos para justificar essa biblioteca especial. E nesse ponto chegamos à ideia fundamental da inspiração divina.

“Os livros da Bíblia foram inspirados pelo SENHOR Deus”, postularam. Por essa razão, concluíram, “a Bíblia não contém erros”, o conceito de inerrância.

Esse último salto, a meu ver, se dá mais por um tipo de reserva de mercado do que por uma sincera observação do material bíblico, pois a Bíblia contém erros. Por exemplo, em Apocalipse 7. 4-8, as 12 tribos de Israel são enumeradas equivocadamente, pois as tribos de Manassés e Benjamim são a tribo de José, seu pai, e a de Dã não é mencionada.

Mas teólogos, como o Dr. William Lane Craig, argumentam que a Bíblia contém erros, mas todos os seus ensinos são verdadeiros. Infelizmente, porém, isso também não é verdadeiro. Por exemplo, no livro Eclesiastes de Salomão, o autor ensina que a vida é vazio de vazios e que tudo o que o homem faz na terra é correr atrás do vento, o que somente é verdadeiro para pessoas praticando pecados, como o próprio Salomão, que no final da vida construía templos pagãos para suas “esposas”. Ou também a conclusão do livro de Jó, que desmerece toda a contribuição dos discursos dos amigos de Jó, sendo que elas, na verdade, são o único conteúdo divinamente inspirado, que justifica a presença desse livro na Bíblia.

Assim, chegamos à conclusão de que o conceito de inerrância bíblica quer induzir-nos, manipular-nos, inclinar-nos em uma direção, para darmos importância ao texto bíblico e aos seus intérpretes autorizados, por um motivo que na verdade não é verdadeiro.

Infelizmente, a Bíblia contém erros. Mas é muito importante!

O único jeito de se interpretar a Bíblia corretamente é se concentrando na sua própria experiência de arrependimento e fé, pois é o Espírito Santo que nos convence da verdade, da justiça e do juízo do SENHOR Deus.

Quem se move sinceramente na direção do SENHOR Deus, Pai Celestial, vai sendo santificado, quer dizer, a verdade divina vai ganhando espaço em seu coração e, desse modo, ele consegue discernir a verdade de Deus no meio dos textos sagrados e na vida, onde ele está.

O caminho que leva à salvação (socorro, livramento, cura, perdão, favor divinos, etc.) não é difícil de se encontrar, mas requer a coragem de julgar e decidir, conforme os santos mandamentos do SENHOR Deus.

A Bíblia Sagrada contém erros, mas o justo encontra nela a sua força e consolação.

A Bíblia Sagrada contém ensinos equivocados, mas o santo encontra nela a esperança de vida eterna.

Prefiro a Bíblia Sagrada do que qualquer outra coleção de livros, pois meditando sobre suas palavras eu ouço a voz do SENHOR Deus, o único Deus Verdadeiro.

Eu acredito em milagres!

Uma boa semana para todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, teólogo amador.