A mulher e o lar

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que descobrindo um pouco mais a respeito da singularidade do propósito do SENHOR Deus para cada um de vocês!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre a beleza de ser mulher.

O que acontece quando a mulher deixa o lar? O lar fica sem a mulher.

Mas o que isso quer dizer de fato? Por que encorajamos a consagração da mulher ao seu lar?

Homens e mulheres são totalmente diferentes, seus poderes e interesses fazem com que não possam se substituir mutuamente.

Embora o culto contemporâneo ensine as mulheres a odiarem a sua feminilidade e buscarem se transformar a ponto de competir em igualdade com os homens, esboçando um comportamento caricaturado que as degenera profundamente, uma mulher jamais será feliz agindo como se fosse um homem e negligenciando o seu chamado divino à edificação da família e serviços no lar.

A mulher foi criada pelo SENHOR Deus com poderes e interesses nobilíssimos: é ela quem pensa na pessoa do marido; quem sem importa com as necessidades das crianças; quem zela pela higiene e bom ambiente doméstico; quem se preocupa com o alimento de todos; etc. É a mulher quem veste a família e a socorre cotidianamente, conversando e mantendo unidos todos aqueles que importam para os seus amados.

Nenhum homem fica forte de verdade sem o cuidadoso trabalho espiritual da sua esposa, que o ouve e ajuda a ver os caminhos do SENHOR Deus para a aplicação da sua fortaleza.

Quando a mulher abandona a sua casa, então a casa é arruinada, pois homem nenhum tem o espírito e o talento para edificá-la no lugar de sua mulher.

Uma mulher só pode deixar o seu lar se colocar outra igualmente consagrada no seu lugar, mas ainda assim, terá que carregar o ônus da sua ausência, pois sua singularidade não se realiza pelas mãos de outros.

Por isso, acredito que a mulher só deve sair do lar temporariamente, porque seu marido e filhos precisam mais dela do que ela possa imaginar.

O SENHOR Deus tem um modo de nos mostrar o que fazer de modo que até nossos períodos de ausência e negligência podem se tornar em marcos memoriais, que nos fazem ter fé e perseverar na justiça em tempos futuros de grande adversidade.

A lição da experiência é a seguinte: o drama da vida de uma mulher é o destino de suas famílias, seu marido e filhos. Essa é a sua cruz, o fardo escolhido pelo SENHOR Deus para que se manifeste o Reino do SENHOR Deus.

Se você foi longe demais, seguindo o culto desse mundo, considere a possibilidade de se arrepender e retornar ao lar.

Suas famílias precisam de você, seu marido e seus filhos também.

Para nascer para uma nova vida é preciso morrer para a antiga.

Deixe o Espírito do SENHOR Deus (“não matarás”, “não adulterarás”, “honra teu pai e tua mãe”, “guarda o sábado para santificá-lo”, etc.) lhe guiar, para que o seu Pai Celestial possa lhe mostrar o que e como fazer para retornar ao seu lar e cumprir perfeitamente a sua divina vocação.

Eu acredito em vocês! Eu acredito em milagres!

Tenham uma boa semana!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, homem de dores.

Lendo a Bíblia

“Certa ocasião, um perito na lei levantou-se para pôr Jesus[, o Cristo do SENHOR,] à prova e lhe perguntou: ‘mestre, o que preciso fazer para herdar a vida eterna?’

‘O que está escrito na Lei?’, respondeu Jesus. ‘Como você a lê?’

Ele respondeu: ‘ame o SENHOR, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento e ame o seu próximo como a si mesmo’.

Disse Jesus: ‘você respondeu corretamente. Faça isso e viverá'” (Lucas 10.25-28. NVI).

Boa tarde a todos!

Sem dúvidas, a seção desse blog que mais gosto de escrever é essa daqui, Lendo a Bíblia.

Muito já foi dito sobre as verdades espirituais e a primazia do SENHOR, como o único Deus Verdadeiro. Mas com o texto dessa semana temos a chance de começar de novo, a chance de dizer o princípio de todos os começos para todo o homem de fé.

O que queremos da vida? Qual a esperança mais básica no coração de todo ser humano?

Queremos “Viver” com “V” maiúsculo.

A expressão “eterna” em “vida eterna” tem esse sentido primordial: vida eterna é a vida perfeita, a vida divina.

A pergunta lógica que se segue é: “como obtê-la?” E a resposta do crente é “faça como ensinam as Escrituras Sagradas”.

O caminho para a vida eterna não está velado, oculto, selado. Basta levar à sério o Espírito do SENHOR, o Deus Eterno, ou melhor, amar esse espírito de santidade.

Amar de todo o coração…

Amar de toda a alma…

Amar de todas as nossas forças…

Amar de todo o nosso entendimento…

É preciso amar o SENHOR Deus de todo e com tudo.

Amar aquele sob o jugo de quem me coloco voluntariamente todo dia. Acatar o seu comando com zelo, alegria e prazer. Meditar nos seus preceitos até encontrar o seu espírito essencial, dando lugar a ele em meu próprio corpo e voluntariedade.

Paradoxalmente, submeter-me ao SENHOR Deus Eterno é o mesmo que amar-me a mim mesmo e de todo o coração. Não existe cuidado eficaz e maravilhoso sobre mim mesmo que não represente uma aceitação direta e completa a algum dos perfeitos mandamentos do SENHOR Deus.

Os nós da minha vida, sejam doenças, prejuízos, dívidas, vícios ou ruínas, são todos causados por algum ponto em minha pessoa que ainda não se submete à bondosa e preciosa Lei do SENHOR Deus, o Espírito Santo. Por essa razão que a plena felicidade começa com o amor ao SENHOR Deus, pois quem ama a si mesmo é somente aquele que aprendeu a amar o verdadeiro Deus.

Depois que a Justiça de Deus entrou no meu corpo, então, com olhos bondosos e perfeitos, passo também a enxergar o meu próximo e a vislumbrar o valor divino que ele tem e nasceu para ter.

Amar ao SENHOR Deus tem tudo a ver com amar a mim mesmo. E amar a mim mesmo tem tudo a ver com amar as outras pessoas, especialmente as outras pessoas que estão mais próximas de mim.

Quando você se alinha com o Deus Certo, então naturalmente se alinha com a Lei Eterna que vê o valor potencial de cada ser humano.

Eu quero a vida eterna… Você quer ela também?

“Não matarás… Não adulterarás… Não darás falso testemunho contra o seu próximo… Não cobiçarás… Não terás outros deuses além de mim… Guarda um dia para o descanso completo de todos os trabalhos da sua vocação… Sê misericordioso com o fraco desamparado… Sê justo com aquele sobre quem você tem poder para machucar… Lembre-se dos órfãos e das viúvas, e de todo aquele que não tem meios práticos para se defender e que precisam de ajuda…”

Todo o caminho só nos leva a algum lugar se nos dispomos a percorrê-lo.

Quando damos o primeiro passo, na porta de casa, na direção da China, não estamos ainda na China e nem mesmo próximos de onde queremos chegar. Mas não há outro jeito de se chegar lá a não ser começando a nos mover na direção da terra que nos foi prometida como herança.

Jesus, o Cristo do SENHOR, disse a verdade: “se você guardar a Lei do SENHOR Deus, seu Espírito Santo, seu Espírito de Santidade, então um dia será Feliz”.

Pense nisso. Ore ao SENHOR Deus. E ponha-se a caminhar na direção da retidão absoluta.

Somente aqueles que tiverem fé entrarão na Terra Prometida.

Pense nisso!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Sobre o sexo

Bom dia a todos!

Gostaria de lhes falar hoje um pouco sobre o sexo.

Não existe nada mais significativo que um ser humano possa fazer do que aquilo que ele pode através do sexo.

Através do sexo o homem cria seus valores eternos.

Casamento, filhos… Cumplicidade, companheirismo, caráter, identidade… Equilíbrio, responsabilidade, cura emocional, respeito, família… Pertencimento, morada, lar… Amor, paz, descanso… Vocação, feminilidade, masculinidade… Maturidade, força, coragem, integridade… Hospitalidade, nova vida, novo corpo, nova mente… Bons começos, riquezas, disposição para o trabalho, boa fé… Amabilidade, esperança, perseverança…

Todas essas coisas são chamadas à existência também por meio do sexo.

Nenhum menino se torna homem até que receba de sua mulher a sua autoridade; nenhuma menina se torna mulher até que receba do seu marido o seu valor. Essas transformações se fazem também com o sexo.

Nunca um homem conheceu a grandeza da sua alma até vê-la no prazer da sua mulher para com ele, a primeira criatura que verdadeiramente o aceita completamente, recebe sinceramente e o ama como senhor; jamais uma mulher percebeu a sua beleza até que seu marido pagasse com sua vida o preço total para ver toda a sua nudez, assumindo-a em uma aliança definitiva para a eternidade.

Isso tudo é um pouco do que o sexo faz ou um pouco do que podemos receber do SENHOR Deus por meio do sexo.

A hora certa de despertar a sexualidade é quando se é adulto com idade, maturidade e iniciado no seu trabalho; quando se tem um homem disposto a assumir um compromisso de fidelidade para com o SENHOR e sua mulher, e uma mulher disposta à submissão para com o SENHOR e o seu marido, o Casamento Sagrado; e quando se tem a bênção dos pais que têm uma aliança genuína com o SENHOR.

Antes disso, deve-se abster-se de toda a forma de sexo, pois o sexo sem o Espírito da Santidade do Senhor Jesus Cristo faz apenas o que é mal e nocivo para o homem e a mulher, gerando doenças físicas, emocionais e espirituais.

Por exemplo, a masturbação faz muito mal tanto para o homem quanto para a mulher. Pois é por meio de práticas masturbatórias que se instalam todos os tipos espíritos malignos ligados à imoralidade sexual. Onde não há masturbação, não há nem a perversão nem o abuso sexual.

Quanto à homossexualidade, a sensibilidade ao estímulo homoerótico se relaciona com experiências psicológicas muito antigas que vão desde o ventre materno e até o fim da primeira infância. A atitude consciente e inconsciente dos pais para com sua criança afetam definitivamente esse processo, por isso a Cura Divina para quem sofre por esse motivo passará definitivamente por uma profunda experiência de perdão aos pais.

Contudo, essa sensibilidade somente será o ponto focal da construção do sentimento de identidade da pessoa se ela se entregar a esses impulsos agindo através desse espírito mau. A verdade, porém, é que a homossexualidade não é uma casa onde se possa morar e viver, e a realidade psicológica que se deriva do engajamento em homossexualidades não passa de uma falsa identidade ou falso “eu”, que mais cedo ou mais tarde cairá inevitavelmente e se mostrará apenas mais um ídolo vazio.

Aquele que foi ferido pela homossexualidade, se quiser viver, vai ter que aprender a abster-se de toda forma de comportamento homossexual e práticas masturbatórias, e aceitar pela fé que a sua identidade verdadeira é o homem ou a mulher que ele(a) é. Mesmo sem sentir a Verdade, a princípio, a pessoa deve se submeter a ela até que gradativamente o sentimento de identidade mude de bases conforme ela cresça em sua integridade interior. O sentimento de identidade é reativo e esboça o reflexo das escolhas do coração e das ações cotidianas de alguém.

Ninguém precisa dar lugar ao espírito de homossexualidade para ser “eu mesmo”. Pelo contrário, é somente quando a pessoa corajosamente tira a voz e a vez desse espírito que ele encontra o “Eu Sou o que Sou [SEU NOME]”.

A verdade sobre o homem e a mulher florescem apenas quando encontram no SENHOR o florescimento da sua sexualidade: o homem foi destinado à aliança com sua mulher e vice-verso.

Relações homossexuais degradam o corpo, as emoções e o espírito das pessoas, e jamais satisfazem os anseios profundos do coração. Toda prática homossexual expressa e consuma a morte.

É melhor sofrer fazendo o que é o Certo, do que morrer infeliz e precocemente por causa do pecado.

Se você é solteiro e ainda não tem o que é necessário para receber da parte do SENHOR Deus o sexo na sua vida, mas já sofre a dor da solidão, respire até o fim. Esvazie o pulmão até doer, encha-o devagar… Faça isso de novo e de novo. Coloque suas mãos sobre o seu coração e peça ao SENHOR Deus o seu cônjuge e diga a ele que isso é muito importante agora.

Diga à sua dor, “o Salvador logo virá!”

Conserve-se puro(a).

Fuja de todo o sinal de imoralidade.

Não se masturbe jamais.

Honre seus pais.

Busque desenvolver a sua vocação honestamente através do trabalho e trabalhe no demais que for necessário com todo o amor e fidelidade como quem está a serviço do SENHOR.

Fale com o SENHOR Deus.

Seja forte, corajoso(a) e belo(a), persevere no bem e seja fiel.

O SENHOR Deus existe e socorre os seus rapidamente.

Se você é casado mas não é Casado, Case-se, pois quem não tocar o sagrado na relação que estabelece com a pessoa do outro sexo será amaldiçoado e não viverá eternamente.

Quando um homem vive com uma mulher sem jamais tê-la assumido verdadeiramente, isso é adultério e mata; quando uma mulher vive com um homem sem jamais ter se submetido verdadeiramente a ele, isso também é adultério e mata.

Às vezes descobrimos que vivemos juntos com uma pessoa do outro sexo mas jamais fomos Casados no SENHOR.

Sempre há tempo de começar de novo e começar direito nos caminhos do SENHOR Deus.

Arrependimento + coragem para deixar o erro e fazer o que é o Certo = Salvação e Cura Divina.

Precisamos terminar o que é falso e fazer o que é o Verdadeiro. Casamento é compromisso sagrado, aliança eterna entre o SENHOR Deus e os homens. Essa é a pedra angular da Cura Divina.

Celibato é quando você, abstendo-se completamente de toda a forma de sexo e sexualidade, erotismo e sensualidade, recebe o dom de suportar a solidão através da espiritualidade, do trabalho profissional, da família e da experiência comunitária. Se a solidão persiste ou se há urgência sexual, então a pessoa não recebeu esse dom e deve buscar se Casar no SENHOR.

A vida começa quando aceitamos o dano do erro que cometemos no passado, voltamos ao lugar do atalho indevido que tomamos e, dessa vez, fazemos direito o que tínhamos ter feito desde o princípio, pagando o preço hoje para realizar toda a Justiça de Deus.

O sexo é bom e a sua misericórdia dura para sempre!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

A escolha de um companheiro e o toque

Bom dia a todos!

Perguntei à minha esposa: “amada, sobre o que devo escrever agora?” E ela me respondeu: “amado, escreva sobre a escolha de um companheiro e o toque”.

Falar sobre a escolha de um companheiro é difícil porque é algo muito diferente daquilo que aparenta ser.

Quando pensamos em escolher um companheiro estamos geralmente pensando em escolher uma pessoa. Mas isso não é o que a escolha de um companheiro realmente é.

A escolha de um companheiro na verdade é a escolha de um Deus, seja ele um ídolo, um falso “eu”, ou o SENHOR, o verdadeiro “Eu Sou o que Sou”.

Vou lhe ajudar a entender isso: o que você realmente é, o verdadeiro eu, o “Eu Sou o que Sou [MEU NOME]”, ele aparece quando você: guarda um dia para o descanso, honra seu pai e sua mãe, não mata (se abstém de todo tipo de violência e crueldade), não adultera (se abstém de todo tipo de imoralidade sexual), não rouba (inclusive trabalhando dignamente), não cobiça o que é do outro, não dá falso testemunho contra o seu próximo, é verdadeiro em tudo que faz e mostra misericórdia para com o autêntico necessitado.

O falso “eu”, ou idolatria, aparece quando você desobedece a Lei do SENHOR Deus, ou seja, quando você rejeita o Espírito do SENHOR.

A condição espiritual de uma pessoa escolhe o seu companheiro e suas alianças. Pois o toque do outro é o toque do espírito que está nele.

O que escolhemos no final é o espírito que queremos que nos toque, seja ele um espírito imundo qualquer ou o Espírito da Santidade do SENHOR Deus.

O companheiro que confirma o meu pecado e idolatria me abandonará, entristecerá e empobrecerá no fim. Mas o companheiro que confirma meu verdadeiro “Eu Sou o que Sou [MEU NOME]” e adoração genuína ao SENHOR dura para sempre, satisfaz e enriquece no final.

Por isso, se você quer um bom companheiro, deixe-se encher pelo Espírito da Santidade do SENHOR Deus.

Se você escolhe o SENHOR como Deus, ele o escolhe de volta através de rostos humanos novos e bons. O SENHOR tem filhos espalhados em todas as nações, povos, línguas e tribos.

É incomparável a força e a beleza dos Filhos do SENHOR Deus. Eles existem e estão entre nós.

Quando a Lei do SENHOR encher você de Vida Eterna, você vai abrir os olhos e encontrar diante de si o melhor companheiro que existe no mundo: o seu.

A distância entre a solidão e o amor é uma simples oração: “SENHOR, eu me arrependo dos meus pecados. Faz o Espírito do Cristo, Jesus, morar em meu coração e eu farei dele o meu Senhor e Salvador! Eu aceito o teu toque e recebo a tua unção de favor, paz e comunhão. Em nome de Jesus Cristo, amém”.

Se você fizer essa simples oração, eu creio e declaro, você nunca mais estará só.

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

 

 

 

Começando a construção

Boa tarde a todos!

Começaremos a construir um fundamento de compreensões e entendimentos sobre Deus e a cura de Deus.

Desejamos ser claros e verdadeiros, como os Pastores de gente precisam ser.

No começo há sempre um homem em solidão. Não acredito que o problema humano parta de outro lugar, senão das coisas que estamos dispostos a fazer para vencer a solidão.

Ser o que somos e sermos amados.

“Ser o que somos” é quando ouvimos uma resposta no nosso coração que confirma aquilo que já sabemos desde o princípio a respeito de nós mesmos.

“Sermos amados” é quando somos apreciados e respeitados no lugar da nossa autêntica integridade por outros também.

Começamos sozinhos e esperamos a mão do socorro de Deus no afeto de um rosto humano.

Somos tão carentes no íntimo que somos capazes de negar a Deus para continuar embalados.

Mas não há embalo de alma onde não há paz com o SENHOR Deus.

Afeto genuíno é a colheita que obtemos da ceara do SENHOR, fruto que vem do lado de lá do arrependimento e da retidão.

Certos com o SENHOR Deus acertamos a mão e o coração nos relacionamentos.

Quem faz a curva do arrependimento e tem a coragem de recomeçar direito encontrará a Vida Eterna.

“Não é bom que o homem esteja só”… “Farei alguém que lhe auxilie e corresponda”… Deus faz esse tipo de coisa para cada um de nós.

Não volte as costas para o SENHOR Deus por um calor humano roubado, pois o calor humano verdadeiro é o presente natural da graça de Deus.

Ande com o SENHOR. Ele cura você de toda a sua solidão.

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.