Maranata: ora vem, Senhor Jesus!

Boa noite a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que estejam bem, encontrando forças sobrenaturais e dependendo delas!

Hoje temos aqui mais um belíssimo vídeo na seção de adoração cristã, bandas. Quem canta e ministra esse louvor extraordinário é o trio Joyce Carnassale, Marcel Freire e Riane Junqueira, cantores, e banda em um ato espetacular na Avenida Paulista, no coração de São Paulo, SP, Brasil.

Poucos momentos conseguem transmitir ao meu coração com tanta força a beleza do meu chamado divino a amar e cuidar da minha cidade, estado e nação!

Eu amo o meu povo, a minha terra, a minha língua e o meu Senhor, Jesus de Nazaré, o Cristo do SENHOR Deus!

Sejam abençoados, vocês, meus irmãos brasileiros e, por meio do seu amor e submissão ao Rei Eterno, abençoem todas as demais nações da face da terra!

Hoje é dia de celebrarmos: o Brasil é do SENHOR Deus!

Com poder, Todo-poderoso Deus, tira os postes de idolatria da nossa terra! Sejam fechadas para sempre as casas de prostituição dessa nação! Aqui no Brasil seremos chamados de Povo do Deus Altíssimo e honraremos o seu santo nome, Deus dos Exércitos!

Eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor! Na presença do Deus Vivo há um lugar para nós, minha amada geração!

Apenas tenham fé junto de mim, meus irmãos! Arrependam-se dos seus pecados, sejam batizados (morram com Cristo e renasçam com ele) e amem ao SENHOR Deus de todo o seu coração, forças e entendimento!

Nós podemos ser LINDOS na presença do nosso Pai Celestial!

Apreciem o louvor e entreguem-se ao SENHOR Deus e ao seu Cristo, Jesus!

Amo vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, ex-baterista.

PS: estou saindo de férias. Se Deus quiser, retorno no começo de setembro.

Resgatando meninos

Boa tarde a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que vencendo uma batalha de cada vez na luta da vida!

Hoje vamos falar um pouco aqui sobre a psicologia masculina.

O que acontece na mente de um jovem rapaz que pode tornar tão difícil o processo de sua escolha profissional?

Acredito que para o homem a escolha de uma profissão é sua escolha mais importante, assim como para a mulher a escolha de seu cônjuge e a construção da sua família.

O jovem rapaz, ao se aproximar das decisões que o encaminham para dentro de uma prática profissional, fica confuso principalmente porque intui que há algo muito mais profundo e significativo subjacente a toda a superficialidade de uma simples escolha acadêmica e/ou de ocupação.

O ofício do homem é a expressão da sua alma e a realização do seu poder, conforme a sua vocação, para o bem de todos os outros. O ofício do homem é o caminho para ele ganhar dinheiro e receber o valor da sociedade por sua dignidade e contribuição ao bem comum.

Se você perguntar para um homem “quem é você?”, ele vai lhe contar o que é que ele faz.

Fazer, ser e realizar; conquistar, possuir e governar. Todos esses são conteúdos de primeira importância na psicologia de um homem.

Um homem sem fé no SENHOR Deus caminha nocivamente na direção dos vícios, do jogo e/ou da depressão, quando toma sua experiência com seu pai biológico e/ou adotivo como único parâmetro de referência sobre seu valor, seus motivos e seu amor. O jovem homem precisa transcender, na maioria dos casos, suas experiências reais de oportunidades e afetos, para apaziguar seu coração em meio à sua jornada na direção de encontrar o ofício que realiza os anseios do seu coração.

Todos os trabalhos são equivalentes, mas para um homem trabalhar é como se casar. Ele procura pela sua noiva e sem ela ele não pode ser feliz.

A jornada de um homem recebe instrumentação divina em todos os casos, mas apenas o homem que aprende enquanto se responsabiliza pelo zelo à sua própria santidade que realmente avança na direção dos notáveis homens bem sucedidos de sua geração.

A nota de corte não advém da boa oportunidade do começo, mas da atitude honesta e diligente ao longo de todo o caminho, porque ao longo da vida todos recebemos oportunidades chave, para as quais podemos estar preparados ou não.

Assim como uma jovem moça precisa aprender a confiar na ajuda dos seus pais para encontrar o seu casamento, um jovem rapaz também precisa aprender a confiar na ajuda dos seus pais para encontrar a sua profissão. Mesmo pais desqualificados e indignos podem ter um papel fundamental na orientação de seus jovens filhos.

Tenha paciência e temor no coração quando estiver diante de um jovem rapaz, pois a sua força está destinada a suportar o peso do mundo!

As mulheres são as criaturas mais bonitas em toda a face da terra, mas os homens são a força de todos os propósitos e boas realizações.

Trate seus meninos com carinho!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, psicólogo corporal, CRP 06/89471, e o fundador do Projeto Terapêutico Toque Divino.

O chamado de Deus

“Estando todos maravilhados com tudo o que Jesus fazia, ele disse aos seus discípulos: ‘Ouçam atentamente o que vou dizer: O Filho do homem será traído e entregue nas mãos dos homens’. Mas eles não entendiam o que isso significava; era-lhes encoberto, para que não o entendessem. E tinham receio de perguntar-lhe a respeito dessa palavra.

Começou uma discussão entre os discípulos acerca de qual deles seria o maior.

Jesus, conhecendo os seus pensamentos, tomou uma criança e a colocou em pé, a seu lado. Então lhes disse: ‘Quem recebe esta criança em meu nome está me recebendo; e quem me recebe está recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre vocês for o menor, este será o maior’.

Disse João: ‘Mestre, vimos um homem expulsando demônios em teu nome e procuramos impedi-lo, porque ele não era um dos nossos’.

‘Não o impeçam’, disse Jesus, ‘pois quem não é contra vocês, é a favor de vocês'” (Lucas 9.43b-50. NVI).

Penso que a vocação divina atrai o ser humano para que ele se mova e se esforce em uma direção especial: alcançar a bênção total: a totalidade do arrependimento e a herança celestial.

A vocação divina está do lado de lá de todas as camadas e realidades espirituais da infidelidade. Entre a pessoa que nasce e o destino de Deus para ela há um número imenso de barreiras e obstáculos a transpor, de trabalhos a realizar e de lutas a vencer, de arrependimentos a alcançar.

A realização humana, ou seja, o homem no desígnio divino custa a vida desse homem.

Quem começa a chegar perto da sua vocação divina começa a perceber que a sua vida será o ingrediente final que dará realidade àquele propósito celestial.

O homem é semelhante à semente. É somente quando a semente morre, que nasce a planta.

Quando ainda estamos imaturos fazemos perguntas do tipo quem é o maior e tentamos impedir outros de realizarem suas vocações no SENHOR.

Mas o maior é aquele que paga o preço do seu chamado celestial a ponto de pela perseverança através da dor alcançar a serenidade em seu próprio caminho e pelo temor do SENHOR, o respeito pelo serviço do outro.

O chamado celestial de uma pessoa é sempre um ato de serviço ao próximo. Por isso que quem não for capaz de fazer a sua arte até mesmo a uma criança, jamais será o maior ou o verdadeiramente grande.

O dom perfeito não faz distinção de raça, cor, sexo, nacionalidade, origem, idade, tamanho. Quando você “chega lá”, seu serviço é para todo o que realmente precisa dele.

Todo aquele que não luta contra a realização do seu serviço, ele o favorece. Pois a vocação divina de um homem dá suporte à vocação divina de todos os homens e a infidelidade à Deus no chamado de um homem é o único inimigo real de todos os homens.

Seja amigo dos homens, seja amigo de Deus.

Aceite o caminho difícil, não tome atalhos na vida. Volte ao lugar onde o desvio começou e saia dele.

Se você começar a fazer o que é certo agora, Deus logo o restaurará e o Seu favor o levará a novos patamares de sucesso, realização, alegria e paz.

Lembre-se do seu nome, lembre-se dos seus pais, lembre-se do sonho de Deus para a sua vida.

O Salvador vem para te Salvar!

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Nossos sonhos

Bom dia a todos!

Perguntei à minha esposa: “amada, sobre o que devo escrever agora?” E ela respondeu: “amado, escreva sobre os sonhos que temos”.

Gostaríamos de lhes falar hoje um pouco sobre os nossos sonhos.

O coração nunca para de se mover, já percebeu?

Do abrir dos olhos ao adormecer nosso espírito parece que sempre pede para alguma coisa nova e significativa acontecer.

Esses pedidos não são aleatórios, pois apesar de parecerem descontinuados ou casuais eles apontam sempre em uma mesma direção especial.

Em suma, o alvo desses pedidos é a confirmação de nós mesmos.

O que Deus diz que nós somos, isso nós somos e, no fundo, é o que mais queremos realizar e ver se realizar.

Os nossos sonhos são as imagens que temos de toda a nossa criação e propósito existencial.

Há muitos trabalhos que fazemos ao longo do dia, mas apenas algumas das coisas que fazemos verdadeiramente sossegam nosso coração.

Somos apaziguados apenas pelas coisas que fazem cumprir os desígnios do SENHOR Deus para nós.

A angústia do dia é quando as horas se passam sem nenhum sinal da presença e favor do SENHOR Deus sobre nossa missão.

Quando estamos sendo infiéis ao nosso chamado divino, ou para com a Santidade do SENHOR Deus, sentimos uma inquietação que não passa. Mas uma ação correta com a atitude correta traz alívio e renovação das nossas esperanças.

Às vezes parece que nossos sonhos dependem de algo que está fora de nós para acontecer, mas isso não é a verdade.

Nenhuma circunstância exterior determina a presença do “Eu Sou o que Sou [MEU NOME]” junto de nós. É o coração correto de quem pratica a Justiça de Deus que alcança o favor do SENHOR para ver realizado mesmo hoje um pouco da grandeza da sua própria grande comissão.

Temos somente no SENHOR Deus o que nos satisfaz eternamente.

O SENHOR Deus lhe dará hoje a eternidade se você guardar-se em a sua Lei.

Faça o que é o Certo; faça o que lhe cabe fazer; faça o que o SENHOR Deus aprova de bom coração e com uma boa atitude. Pois se você realmente fizer uma aliança com o Deus Altíssimo, Ele também fará uma aliança com você e lhe estenderá o seu favor maravilhoso.

Seja fiel em tudo o que você fizer, honre seus pais, honre seu cônjuge, honre seu próximo, honre o seu chefe, honre o rei, honre o Cristo do SENHOR. E o SENHOR lhe dará um caminho perfeito para dentro da realização dos seus próprios sonhos.

Você se submete ao SENHOR Deus e ele realiza a plenitude de você mesmo, seu chamado divino, sua vocação suprema.

Não tenha medo de fracassar. O SENHOR Deus está vendo você e a sua disciplina é boa e justa.

Sempre há espaço para irmos um degrau mais fundo no arrependimento e na submissão ao SENHOR Deus.

A adversidade que o SENHOR permite na nossa vida é para o nosso bem e promoção, e nunca para o nosso dano e perdição.

Quem guardar a Lei do SENHOR será feliz, próspero, grande e satisfeito eternamente.

O caminho mais curto para dentro dos nossos sonhos é a oração: “Deus, eu… Sou… Teu!”

Se você fizer essa oração, eu creio e declaro, que o SENHOR Deus e o seu Cristo também serão inteiros seus e você será feliz como a felicidade deve ser.

O SENHOR abençoe todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.

Para Dentro, para Fora, para Baixo e para Cima.

“Certa vez Jesus estava orando em particular e com ele estavam os seus discípulos; então lhes perguntou: ‘quem as multidões dizem que eu sou?’

Eles responderam: ‘alguns dizem que és João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, que és um dos profetas do passado que ressuscitou’.

‘E vocês, o que dizem?’, perguntou. ‘Quem vocês dizem que eu sou?’

Pedro respondeu: ‘o Cristo de Deus’.

Jesus os advertiu severamente que não contassem isso a ninguém. E disse: ‘é necessário que o Filho do homem sofra muitas coisas e seja rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, seja morto e ressuscite no terceiro dia’.

Jesus dizia a todos: ‘se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa, este a salvará. Pois que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder-se ou destruir a si mesmo? Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier em sua glória e na glória do Pai e dos santos anjos. Garanto-lhes que alguns que aqui se acham de modo nenhum experimentarão a morte antes de verem o Reino de Deus'” (Lucas 9. 18-27. NVI).

A oração é um momento de introspecção, quando o homem se volta para Deus para ser lembrado da voz que ecoou seu chamado divino desde a eternidade.

Aqui Jesus Cristo está introspectivo e, lembrando-se de quem realmente era, quer dizer, lembrando-se de quem Deus o havia chamado para ser, ele pergunta aos seus discípulos sobre quem as multidões dizem que ele é.

Todo homem que ouve a voz de Deus lhe chamando de fora e de dentro do seu coração de tempos em tempos precisa da confirmação dos outros para continuar.

Os discípulos dizem que as multidões identificam Jesus Cristo com João Batista, o profeta que batizava, com Elias, o profeta que manifestava o poder de Deus, e com os profetas do passado, os homens que falavam da parte de Deus e agiam em Seu nome.

É como se as pessoas pudessem ver e discernir semelhanças superficiais, mas estivessem perdendo de vista o próprio homem, Jesus Cristo, e sua identidade profunda: o que Deus disse a seu respeito.

Então talvez angustiado Jesus Cristo pergunta aos discípulos: “quem vocês dizem que eu sou?”

Pelo menos os discípulos deveriam já ter percebido o chamado sagrado do Filho de Deus.

E Simão Pedro responde a verdade profunda a respeito daquele homem: você é o Cristo de Deus, o Messias esperado de toda a criação, o Ungido de Deus, aquEle que vem da parte de Deus e executa no mundo a Salvação.

Jesus Cristo então fica amedrontado, como todo o homem que fica exposto em sua verdade profunda antes do tempo devido.

Quando o homem ouve na boca de outros o seu nome sagrado, isso dá muito medo, pois o peso da vocação é peso de morte. E quem de nós é capaz de suportar todo o peso da cruz que está diante de nós antes do tempo perfeito?

Então Jesus Cristo proíbe seus discípulos de espalharem tal conhecimento e assustado explica para eles o que é uma vocação da parte de Deus dizendo que é necessário que o Filho do homem sofra muitas coisas, sendo rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, seja morto e ressuscite no terceiro dia.

A vocação divina é assim: é necessário que todo o homem sofra muitas coisas por causa da sua vocação, seja rejeitado pelas autoridades competentes no âmbito da atuação dessa vocação, seja morto e ressuscite no terceiro dia.

E Jesus Cristo dizia a todos os que ousam orar, quer dizer, os que ousam voltar a ouvir a voz primordial da vocação de Deus para si mesmo: quem quiser fazer como eu estou fazendo, deve negar-se a si mesmo, no sentido de dizer não a todas as coisas que vêm de si mesmo e não do trabalho necessário para preparar e cumprir a sua vocação divina, tome diariamente a sua cruz, aceitando diariamente o dano causado por ousar construir dia a dia a afirmação da vocação que Deus lhe dá, e siga o exemplo de Jesus Cristo, sendo obediente até a morte sem jamais colocar qualquer outra possibilidade de se chegar ao cumprimento da vocação no lugar da reverente e total submissão à Deus, Sua Lei e Seu Espírito Santo.

Pois quem quiser acabar com a dor da vocação divina por atalhos de insubmissão e desobediência à Deus, Sua Lei e Seu Espírito Santo, vai perder a sua vida como um todo, mas quem renunciar à possibilidade de negar a Deus, Sua Lei e Seu Espírito Santo, ele salvará a sua vida e encontrará a eternidade, a força, a alegria, a vida e a indestrutibilidade.

Abandonar a vocação divina não pagando o preço que ela demanda pode trazer benefícios apenas de aparência, coisas que parece que se ganha, mas que na verdade anunciam a perdição e a destruição de si mesmo.

Quem se envergonhar da atitude espiritual e do caminho semelhante aos do rei Davi e de Jesus Cristo, que não usurparam o lugar que ocupariam na consumação da sua vocação divina, mas optaram por obedecer a Deus radicalmente e com grande prejuízo próprio, o rei Davi e Jesus Cristo também deles se envergonharão quando tiverem sido exaltados, pois a única exaltação que existirá no fim será aquela dos legítimos Filhos de Deus.

A promessa de Jesus Cristo foi de que alguns dos que se achavam ali de modo nenhum experimentariam a morte antes de ver o Reino de Deus e provavelmente foi assim que aconteceu.

Porque é fácil ver o Reino de Deus, basta que o homem aceite o caminho de Deus: ore para se lembrar da sua vocação, depois pague o preço de obedecer a Deus radicalmente, sem se envergonhar daqueles que fizeram isso antes dele como exemplo, suportando toda a dor e vergonha desse tipo de decisão pela obediência radical a Deus, e trabalharam a vida inteira por um lugar de honra e glória que jamais poderiam alcançar a menos que Deus os ressuscitasse dos mortos e os vestisse de glória no último dia.

Não se envergonhe daqueles que se humilharam até as últimas consequências guardando a obediência ao SENHOR a todo custo sem jamais deixar adormecer dentro de si mesmos o chamado divino que os trouxe à vida.

Volte a orar.

Não tome atalhos nem se entorpeça.

Escolha obedecer a Deus a todo custo, seja forte e seja homem, seja bela e seja mulher, e responda ao seu chamado divino suportando a morte que isso certamente implicará.

Pois quando Jesus Cristo e os seus irmãos forem glorificados, você será lembrado, honrado e glorificado com eles também.

Rafael Caldeira de Faria, Teólogo, e o Editor do blog Curados por Deus.